notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 25/11/2017

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    3º Neurônio | cinema

    O ator mirim Lee Quigley interpretou o bebê Kal-El em Superman - O Filme, de 78

    Lee Quigley, a mais jovem vítima da Maldição do Superman

    por Diego Nunes | Memória Cinematográfica | Publicada em 16/08/2017 às 16h57

    Existe em Hollywood uma lenda chamada de A Maldição do Superman (The Superman Curse, em inglês), que relaciona as tragédias pessoais que acompanharam a vida dos intérpretes do Homem de Aço nos cinemas. As mais famosas vítimas seriam os atores Christopher Reeve, intérprete do herói em 1978 e George Revees, que deu vida ao kryptoniano em 1954. Christopher sofreu um acidente que o deixou paraplégico e George cometeu suicídio aos 45 anos de idade. Outras vítimas, como Kyrk Alyn, não tiveram grandes tragédias pessoais, mas sua carreira decaiu ao ostracismo, após ele vestir o traje de Superman.

    Porém, a mais jovem vítima desta tal maldição seria o ator mirim Lee Quigley, que interpretou o bebê Kal-El em Superman: O Filme(Superman, 1978), cujo protagonista seria justamente Christopher Reeve.

    Com apenas sete meses de idade, Quigley contracenou com grandes astros do cinema, fazendo o papel de filho de Marlon Brando (Jor-El) e Susannah York (Lara), ele é o bebê colocado em uma nave rumo a Terra antes da explosão do planeta Krypton.

     

     

    Quigley não só se tornou o ator mais jovem a interpretar o Superman, como também foi o primeiro ator não americano a interpretá-lo. Lee John Quigley nasceu em 13 de agosto de 1976, em Lambeth, Inglaterra. Ele foi selecionado para o filme após disputar o papel com centenas de outros bebês. Apesar o filme ser uma produção norte-americana, todas as suas cenas foram gravadas nos estúdios de Shepperton, Inglaterra.

     

    : Lee e Marlon Brando

     

    Lee e Susannah York

     

    Após aparecer neste filme, o menino nunca mais atuou.

    Seus pais se separaram logo após as filmagens, brigando pelo cachê que o bebê havia recebido. Porém, ao fim do divórcio, nenhum dos dois quis a guarda do menino, que foi morar com os avós no interior. Lee cresceu, e foi matriculado na Bishop Bell CE School, onde começou a ser constantemente levado a diretoria por mau comportamento. Ele também sofria bullying na escola, apanhando constantemente dos colegas que queriam ver se ele realmente "era o Superman".

    Ele tornou-se um adolescente deprimido e revoltado, e começou a experimentar drogas e álcool. Lee Quigley tornou-se viciado em cheirar cola e solventes. E em março de 1991, acabou falecendo de uma overdose acidental, intoxicado com uma mistura de solventes que havia preparado. Ele tinha apenas 14 anos de idade.

     

     

    A família não divulgou maiores detalhes, nem mesmo a data da morte do menino. E assim, o jovem Lee Quigley tornou-se a mais jovem vítima da A Maldição do Superman.

     

    Diego Nunes é gaúcho, formado em Rádio e TV pela Universidade Metodista de São Paulo, é pesquisador da memória cultural e artística, e sua paixão é o cinema. Além disso, atua como diretor cultural da Pró-TV, Museu da TV Brasileira, e no departamento de arquivo da Rede Record de Televisão.

    Acompanhe-o pelo Memória Cinematográfica.

    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.