notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 21/01/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna do martinelli

    Dimas Costa, discursando em vôo solo na sua festa de aniversário

    Dimas está nas paradas de sucesso

    por Rafael Martinelli | Publicada em 11/08/2017 às 19h10| Atualizada em 18/08/2017 às 13h38

    Dimas Costa é nome certo nas urnas para 2020. Mas não na primeira tela, de quatro dígitos. Na segunda, de dois cliques, como candidato a prefeito.

    O vereador reeleito se prepara para a aventura cursando Gestão Pública, que deve concluir ano que vem, e diz tanto na fila da madrugada do posto de saúde, quanto na assembléia do sindicato dos professores, que não concorrerá novamente à Câmara.

    Para isso, tem em seu grupo político a esperança de que Anna Beatriz, companheira e conselheira tutelar mais votada em 2015, aceite a convocação.

    A dúvida é: por qual partido o jovem de 36 anos concorrerá à Prefeitura de Gravataí?

    Hoje Dimas, ex-PT, está no intraduzível PSD, da primeira linha dos governos Sartori e Temer. De posições e votos da esquerda católica para o centro, sofre um estupro ideológico consentido, desde que se filiou em 2016 para garantir legenda para sua reeleição – logo após Daniel Bordignon esvaziar a nominata petista às vésperas da eleição.

    Dimas e o ‘Grande Eleitor’ até reataram na eleição de 2017, quando o vereador não seguiu o PSD do irmão vice, Dilamar Soares, na coligação com Anabel Lorenzi (PSB), e apoiou Rosane Bordignon, o que parecia sinalizar para uma filiação ao PDT. O que se torna cada vez mais difícil, por Gravataí inteira prever que algum dos Bordignons será candidato: ou Rosane, ou o próprio Daniel, a quem não falta coragem para enfrentar a quarta eleição sob ameaça de impugnação, já que sua pena de cinco anos de suspensão dos direitos políticos acaba em setembro de 2020 – um mês depois do registro de candidatura, mas 15 dias antes das eleições.

    Suspeita-se, principalmente entre adversários do ex-prefeito e ex-deputado estadual, porque os fãs apenas sorriem quando perguntados, que Daniel Bordignon possa inscrever a candidatura e, provavelmente impugnado, renunciar e lançar para Rosane.

     

    LEIA TAMBÉM

    Mais que uma foto: mil curtidas para Bordignon e Dimas

     

    Sábado passado, como faz todos os anos, Dimas deu uma demonstração de força surpreendente em tempos onde os políticos são ‘ovacionados’: reuniu, pelo quinto ano consecutivo, mil pessoas em sua festa de aniversário. Cobrando R$ 10 de ingresso para o churrasco e R$ 5 o latão. Daqueles que sabem de onde vieram, só abriu a mão para colocar de graça o Ramal 3 e o Gilson & Gabriel, ao vivo, para tocar o baile.

    Nem Daniel, nem Rosane estavam lá para soprar junto as velas. O que parece ter sido senha para as inúmeras ligações e mensagens de whatsapp que o vereador recebeu de manda-chuvas locais em além fronteiras, de diferentes partidos – do A ao Z, ideologicamente falando.

    Como não deve ser aprovada janela para a troca de siglas na reforma política que o Congresso corre para aprovar até outubro, o caminho de Dimas talvez só seja conhecido em 2019, quando a lei eleitoral já prevê a possibilidade de alforria e o popular vereador poderá se livrar do PSD de José Cairoli, Danrlei e Gilberto Cassab – aquele que após o golpeachment apagou a luz na noite em que Dilmar Rousseff (PT) deixou o Palácio do Planalto e, na manhã seguinte, acendeu-a para Michel Temer (PMDB).

    Uma coisa é tão certa quanto precisar de O² para sobreviver: mesmo que não faça aquela oposição do 'contra tudo, contra todos', e mesmo que até 2020 o governo chegue a uma popularidade que nunca teve ainda, Dimas só não pode ir para um partido da base do governo Marco Alba (PMDB).

    Simplesmente porque pegaria o fim da fila.

    Talvez achismo, mas não parece ser preciso perguntar para saber que o que Dimas prefere é: nem Bordignon, nem Marco. Ele quer ser ‘a novidade’. Um Marchezan às avessas.

    O que não significa que é o que ele vai fazer.

    Certo – e os políticos confirmam – é que o guri está nas paradas de sucesso.

    • segurança
      Carros da 99 POP terão câmeras de segurança
      por Eduardo Torres
    • coluna do silvestre
      GM diz que pode fechar fábrica de Gravataí
      por Silvestre Silva Santos
    • segurança
      Fotógrafo foi morto por dívida em Cachoeirinha
      por Eduardo Torres
    • em Brasília
      Marco Alba trata do Complexo de Educação Especial
      por Redação
    • coluna do silvestre
      Pedágio volta dia 15 mais caro do que o anunciado
      por Silvestre Silva Santos
    • meio ambiente
      O último ano dos canudos plásticos em Gravataí
      por Eduardo Torres
    • 2020
      ’Bolsonaro da Aldeia’ na briga pela Prefeitura
      por Rafael Martinelli
    • carnaval
      Corte de dinheiro para Carnaval é aprovado; exceto por petistas
      por Rafael Martinelli
    • governo bolsonaro
      Marco Alba em Brasília; sem embaixador
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Moro foi bem na GloboNews; já é um político
      por Rafael Martinelli
    • carnaval
      Gravataí não vai liberar dinheiro para escola de samba
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      Uma em cada quatro armas legais é roubada no RS
      por Eduardo Torres
    • rs
      Ninguém de Gravataí no governo Leite
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      O que será feito para salvar Ubers da violência
      por Eduardo Torres
    • segurança
      O debate fetichista sobre a redução da maioridade
      por Rafael Martinelli
    • educação
      Ulbra Gravataí demite um quinto dos professores
      por Eduardo Torres
    • coluna do silvestre
      App leva profissionais da beleza até você
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • habitação
      Moradores querem financiar casas da Granja em 35 anos
      por Eduardo Torres
    • polêmica
      Gravataí e Cachoeirinha podem ter armas liberadas
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Farda não garante santidade; promoção, talvez
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      RETRÔ 2018 | Sem guerra das facções, na mira dos grandões
      por Eduardo Torres
    • economia
      RETRÔ 2018 | A volta dos investimentos na região
      por Eduardo Torres
    • meio ambiente
      RETRÔ 2018 | O preço do futuro preservado
      por Eduardo Torres
    • política
      RETRÔ 2018 | Do limão eleitoral à limonada política
      por Eduardo Torres
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.