notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 22/06/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna do martinelli

    Creche abre até abril de 2018, conforme secretária da Educação Sônia Oliveira

    OPINIÃO | Creche da polêmica em bairro nobre logo vai abrir

    por Rafael Martinelli | Edição de imagens: Guilherme Klamt | Publicada em 07/11/2017 às 18h59| Atualizada em 14/11/2017 às 17h01

    Você assiste a opinião dando o play na imagem abaixo, ou então ouve o áudio no podcast ou lê em texto logo após o vídeo

     

     

    OUÇA O ÁUDIO NO PODCAST clicando aqui.

     

    Creche da polêmica em bairro nobre logo vai abrir

    Se vai alegrar ou irritar, valorizar ou desvalorizar a vizinhança, entre março e abril de 2018 as brincadeiras e as vozinhas das crianças começarão a ser ouvidas na escola de educação infantil Bem-Me-Quer, a 10 metros do pórtico de entrada do Residencial Dom Feliciano.

    A Bem-Me-Quer é uma das 6 creches que o governo Marco Alba se habilitou a construir quando conseguiu se livrar da construtora imposta pelo governo federal que quebrou depois de construir no Rio Grande do Sul apenas quatro, de 208 escolas infantis, deixando obras paradas e materiais se deteriorando país afora.

    Foi essa creche, e não um presídio, o motivo de uma constrangedora polêmica no início do ano, quando moradores da área – mais ou menos – nobre de Gravataí, que usavam a área como praça para chimarrão, corridas ou passeio com animais de estimação, chegaram a levar para votação a possibilidade de uma ação judicial para impedir a obra de R$ 2 milhões, que abrirá cerca de 200 vagas para crianças pobres, ricas ou remediadas.

    Sim, pobres, ricas ou remediadas. Você não ouviu mal. Creches públicas não são de graça apenas para aqueles que não podem pagar. Conforme a LDB nacional, a educação infantil deve ter acesso universal. Ou seja: uma mãe em Belágua, largando o filho de jegue na creche, tem os mesmos direitos de um pai que aqui em Gravataí largar a criança de Camaro na porta da escola, gratuitamente – se o bom e bem pago advogado pedir, e a justiça assim decidir.

    Mas, calma, antes de ir para o facebook e fazer do teclado uma metralhadora: a maioria das crianças da Bem-Me-Quer vem de famílias de baixa renda, algumas na lista de quase mil vagas por ano que a Prefeitura tem que comprar por ordem judicial, para além das 2 mil que criou e pelo menos outras 5 mil urgentemente necessárias.

    E, ao fim, quando fez-se a luz sobre o caso, prevaleceu o bom senso, nenhuma ação judicial foi apresentada e as crianças frequentarão a escola infantil no nobilíssimo Dom Feliciano, e não no violento Rincão da Madalena, onde doutores e vizinhos altruisticamente tinham sugerido a construção da creche – periferia onde, conforme a Procuradoria Geral do Município, as áreas públicas estão todas enroladas na justiça.

    Num final feliz, longe de uma Escolha de Sofia, ganharam as sofias, marias, joões...

     

    LEIA TAMBÉM

    Não presídio, creche é polêmica em bairro nobre

    • a partir de sábado
      Tarifa dos ônibus municipais de Gravataí vai a 4,40
      por Redação
    • coluna do silvestre
      Mobilidade: em cinco anos a cidade vai parar
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • coluna do silvestre
      Para onde e como Gravataí vai crescer
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • da escola
      O Gustavo da Santa Cecília foi cuidar das águas do Brasil
      por Redação
    • impeachment
      A volta da polêmica sobre dívida da cassação de Rita
      por Rafael Martinelli
    • pai merdanelles
      Qual seleção da Copa seria cada vereador de Gravataí?
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Qual a Gravataí que queremos para o futuro?
      por Silvestre Silva Santos
    • na copa
      COM VÍDEO | O balão da Costa Rica em Gravataí
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • na copa
      OPINIÃO | Os assediadores da russa podem ser você
      por Rafael Martinelli
    • luto
      Antes do tie break: o legado de Aline Fofonka
      por Róbinson Gambôa
    • luto
      120 em 40, uma intensa história de vida
      por Cláudio Wurlitzer | Especial
    • luto
      Nada está no lugar; uma homenagem a Denise Medonha
      por Rosane Castro
    • coluna do silvestre
      A Souza Cruz voltou, a Herbalife chegou
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • atenção
      O que muda no trânsito da parada 72
      por Redação
    • a venda do hospital
      OPINIÃO | Marco Alba fez bem em bancar a Santa Casa
      por Rafael Martinelli
    • na copa
      Deu sono na estreia do Brasil e do Miguel
      por Eduardo Torres
    • na copa
      OPINIÃO | Estreia com a cara do Brasil do golpeachment
      por Rafael Martinelli
    • nosso hospital
      COM VÍDEO | Hospital de Gravataí é da Santa Casa
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • saneamento
      Gravataí e Cachoeirinha no ranking do saneamento
      por Eduardo Torres
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.