notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 16/12/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    câmara

    Audiência pública sobre o IPTU e a taxa de lixo lotou plenário da Câmara de Gravataí

    OPINIÃO | IPTU, a audiência que não terminou

    por Rafael Martinelli | Publicada em 22/02/2018 às 17h55| Atualizada em 02/03/2018 às 13h40

    Com pouco mais de uma hora, a audiência pública sobre o IPTU foi cancelada na noite desta quarta, na Câmara de Gravataí.

    As manifestações da plateia, gritos, ameaças e vaias durante as falas dos secretários Claudio Santos (Desenvolvimento Urbano) e Davi Severgnini (Fazenda) foram justificativa para Wagner Padilha (PSB) – proponente e condutor da sessão – desligar os microfones.

    Perdeu-se a oportunidade de contribuintes – que questionam a explicação do governo Marco Alba (PMDB) de que os carnês só vieram mais caros para quem aumentou a área construída – apresentarem aos técnicos da Prefeitura seus boletos com as alegadas incorreções.

    Quatro servidores das secretarias da Fazenda e do Desenvolvimento Urbano acompanhavam os secretários para, ao final da audiência, esclarecer as dúvidas de cada contribuinte.

     

    LEIA TAMBÉM

    7 coisas sobre audiência pública do IPTU

     

    Por maior a indignação, a gritaria na Câmara, que deve se repetir daqui a pouco pelos que se lê nas redes sociais, só serve como desabafo ou para aumentar o politicômetro de alguns. Para esclarecer erros na cobrança, ou mesmo para aprovar um projeto reduzindo o IPTU como querem alguns, não.

    Até porque Marco Alba não vai recuar. É dilema já resolvido pelo prefeito, que agiu frente a repetidos alertas do Tribunal de Contas do Estado (TCE) sobre a necessidade de revisar o cadastro imobiliário para evitar apontamentos por uma suposta renúncia de receita.

    Em resumo: as leis definindo os valores do IPTU já existiam, não são coisa do prefeito ou dos vereadores da vez. Só que não eram aplicadas corretamente porque as informações sobre os imóveis em Gravataí estavam, como descreveu o secretário Cláudio Santos, no tempo das cavernas.

    Ao implantar o georreferenciamento – com a identificação por fotos aéreas e visita de cadastradores – e se aproximar da metragem real, a diferença a maior chegou a 5 milhões de metros quadrados. Em dinheiro, algo próximo a R$ 10 milhões a mais só neste ano. Que sai do bolso dos contribuintes. Em tempos de crise, as reclamações eram consequência lógica e esperada. Mas em algum momento essa correção teria que ser feita por alguém que sentasse na cadeira principal do segundo andar palacinho ocre da avenida Loureiro da Silva.

    Marco bancou a vaia.

    Ou seria justo um contribuinte informar a metragem real e benfeitorias feitas em seu imóvel, pagar IPTU e taxa de lixo corretamente, enquanto outro que construiu casas para aluguel em um terreno e não declarou continuasse a não pagar por isso?

     

    LEIA TAMBÉM

    OPINIÃO | Bordignon, Marco Alba e o IPTU

     

    Pode acontecer de o Ministério Público, que recebeu um abaixo-assinado, e a justiça, já instada por uma Ação Popular, entenderem que o tarifaço deve ser aplicado de forma mais suave para quem teve grandes aumentos percentuais (de até 300% em alguns casos), mesmo que tenha omitido informações da Prefeitura.

    O que não se pode dizer é que, quando comprovado que houve ampliação das propriedades, e não se taxou a casinha do cachorro, a cobrança está sendo feita irregularmente, ou de forma abusiva, pela Prefeitura.

    Afinal, está na lei.

    Se os valores definidos para o IPTU e a taxa de lixo são caros, remember 1997 e 2003, quando esses parâmetros foram aprovados.

    Já se o contribuinte acha que o retorno dos impostos não é suficiente, é uma outra história.

     

    LEIA TAMBÉM

    ANÁLISE | A polêmica do IPTU em Gravataí

    • empresas de valor
      TDK: poucos conhecem, mas todos usam
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • crime na saúde
      Ex-vereador de Gravataí é citado no Caso Gamp
      por Eduardo Torres
    • coluna do silvestre
      Começa a duplicação das pontes do Parque
      por Silvestre Silva Santos
    • histórico
      PC Magalhães, o caçula do mundial tricolor
      por Eduardo Torres
    • app
      Aplicativo para deixar as mulheres mais belas
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • coluna do silvestre
      Gravataí ganha café de R$ 750 mil nesta sexta
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Precisa vereador pedir dinheiro para Marcha para Jesus?
      por Rafael Martinelli
    • crime
      Mansão em Cachoeirinha é elo entre tráfico e política
      por Eduardo Torres
    • funcionalismo
      Ano vai terminar sem greve em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • meio ambiente
      Já se sabe onde investir, resta cobrar pela água
      por Eduardo Torres
    • opinião
      Queremos sangue, como o matador de Campinas?
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      RS-118 não fica pronta no ano que vem
      por Silvestre Silva Santos
    • rs em crise
      OPINIÃO | Perderemos 32 milhões se baixar ICMS
      por Rafael Martinelli
    • investimento
      A boa notícia de 700 empregos
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      OPINIÃO | Gravataí ainda não preencheu vagas de médicos
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Shopping vai dar muitos presentes de Natal
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • seca
      Sem chuva, captação no Rio Gravataí pode parar
      por Eduardo Torres
    • redes sociais
      Vereador ganha liminar para excluir post de eleitor
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      OPINIÃO | Inocente bom é inocente vivo
      por Rafael Martinelli
    • crime na saúde
      Empresa levou R$ 500 mil supostamente desviados
      por Eduardo Torres
    • crime na saúde
      Ex-secretária de Gravataí é sócia de empresa no alvo do MP
      por Eduardo Torres
    • crime na saúde
      Empresa de Gravataí envolvida em desvio na saúde
      por Eduardo Torres
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.