notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 02/06/2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    análise

    Sindicato do Trabalhadores em Educação Pública de Gravataí tem assembleia quarta

    Sem aumentar contribuição, servidores podem ficar sem plano de saúde

    por Rafael Martinelli | Publicada em 26/03/2018 às 19h10| Atualizada em 31/03/2018 às 18h52

    Num cenário que aponta a ruína do Ipag Saúde em 2019, o sindicato dos professores de Gravataí discute o futuro do plano de saúde – que atende 12.134 funcionários públicos municipais e seus dependentes – em assembleia geral nesta quarta, 8h, no CTG Aldeia dos Anjos.

    E não há solução sem pesar no bolso das 5.601 famílias, pelo menos conforme o estudo atuarial contratado junto a Lumens Atuarial, a que o Seguinte: teve acesso, e sugere aumento de contribuição para titulares e dependentes, pagamentos crescentes por faixa etária e também maior coparticipação em procedimentos, que vão de consultas a exames e cirurgias.

    O documento alerta para a necessidade de ações emergenciais, de curto prazo, ao projetar o esgotamento das reservas financeiras do instituto em dois anos – dinheiro hoje drenado para fazer frente a um crescimento de quase 30% nas despesas devido à elevação da idade dos segurados, o que aumenta proporcionalmente os custos com a saúde.

    Uma das projeções do estudo mostra que se a contribuição dos funcionários aumentar de 4,5% para 5,50%, e dos dependentes de 1% para 2%, o plano ganha um fôlego até 2036. O impacto, em média, seria de R$ 10 para titular sem dependentes e R$ 95 para titular com dois dependentes.

    O Seguinte: alerta desde o ano passado para o risco do Ipag Saúde quebrar por gastar mais do que arrecada – em 2017, R$ 21,3 milhões entraram e R$ 22,5 milhões saíram.

     

    LEIA TAMBÉM

    OPINIÃO | Vai faltar dinheiro no Ipag Saúde

    Governo vai colocar o Ipag Saúde na sala

     

    Uma CPI criada na Câmara em setembro ainda não saiu dos selfies para resultados práticos e, sem um relatório final, foi prorrogada por 90 dias.

    Há uma semana, o vereador Dilamar Soares levou o assunto para a Câmara, mas ficou falando sozinho.

     

    LEIA TAMBÉM

    OPINIÃO | Sem pizza na CPI do Ipag, por favor

    OPINIÃO | O que vem aí com a CPI do Ipag

     

    Se no ano passado o Ipag Previdência esteve em primeiro plano, neste ano a preocupação com a solvência do plano de saúde é confirmada pelo SPMG ao colocar o debate no topo da pauta, já na abertura do processo de data-base 2018/2019.

     

    LEIA TAMBÉM

    A 'aula pública' do sindicato dos professores sobre o Ipag

     

    Como não há perspectiva do funcionalismo ter reajuste salarial, a assembleia tem tudo para ser uma das mais tensas dos últimos anos, já que o que se coloca no estudo atuarial é simples: ou os servidores e dependentes pagam mais, ou o plano vai a falência.

     

    LEIA TAMBÉM

    Sem resolver Ipag, funcionalismo pode ter salário congelado por 15 anos

    EXCLUSIVO | Professores de Gravataí na justiça por reposição da inflação

     

    Da Prefeitura não vira o socorro. É notória a posição do prefeito Marco Alba (PMDB) de que aumentar a contribuição da Prefeitura – que já gasta com o Ipag Previdência (R$ 60 milhões só em 2017) – penalizaria os quase 300 mil habitantes em benefício de 5 mil servidores, já que os recursos teriam que ser tirados de obras e serviços.

    Em resumo, o que está posto é: o plano de saúde é dos servidores e familiares. São eles que terão que salvá-lo.

     

    LEIA TAMBÉM

    Governo quer levar ao povo custo do funcionalismo

    OPINIÃO | Ipag, preocupação de empresários e do prefeito

     

    O ESTUDO ATUARIAL E O RELATÓRIO

    O Seguinte: disponibiliza na íntegra os documentos, que apresentam gráficos ilustrativos que fazem uma radiografia dos últimos 5 anos do Ipag Saúde, além de um relatório escrito de forma didática que serve tanto para os servidores que participarão da assembleia geral de quarta, como para a população entender o momento delicado pelo qual atravessa o plano de saúde dos servidores, criado em 1996.

    Para ler o Estudo Atuarial clique aqui.

    Para ler o Relatório Atuarial clique aqui.

     

    LEIA TAMBÉM

    Como Gravataí limpou o nome e entrou no radar de investidores estrangeiros

    OPINIÃO | E a greve acabou

    • justiça
      O que vamos dizer para o Gu, que perdeu o pai assassinado na Rondon?
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Morada do Vale é ’epicentro’ da COVID 19 em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      100 infectados em Cachoeirinha são potenciais 20 mil; o maio do contágio
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Marco Alba alerta para período crítico da COVID 19 em Gravataí; tem novos decretos para comércio e aulas
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      O ‘urubu da imprensa’ errou, para menos; contágio em Gravataí cresceu 245 por cento
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Ele grita a sua impotência. Ou: Vamos ver como seria o ’gorpe do Parmito’
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      As mortes sem rosto da COVID 19 em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • política
      ’Político alvo’ desafia abertura de ’CPI das fake news’ na Câmara de Gravataí; as bravatas e verdades múltiplas
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Gravataí receberá 36 milhões de socorro federal; funcionalismo com salários congelados até 2022
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Metade de Gravataí é ’grupo de risco’ para COVID 19; alerta aos ’covidiotas’
      por Rafael Martinelli
    • política
      Zaffa saiu da Havan como candidato a prefeito de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • negócios
      Luciano Hang e Marco Alba na ’inauguração surpresa’ da Havan Gravataí; assista
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      ’Gripezinha’, ’carreatas da morte’, Páscoa, reabertura e Dia das Mães; a progressão da COVID 19 em Gravataí e Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Por que hospital de campanha de Gravataí atrasou 30 dias; sem tirolesa ou ’Covidão’
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Cristiano Abreu | EDITOR | cristiano@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.