notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 30/05/2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    assembleia

    Categoria aprovou proposta apresentada pela direção do sindicato em assembleia geral nesta manhã

    O aumento que o funcionalismo quer em Gravataí

    por Rafael Martinelli | Publicada em 28/03/2018 às 16h06| Atualizada em 10/04/2018 às 15h16

    O sindicato dos professores aprovou a proposta salarial que será apresentada ao governo Marco Alba (PMDB) nos próximos dias: 20% é a conta redonda, já com ganho real. O cálculo da categoria é de que, entre 2015 e 2018, a perda salarial só com a inflação chega a 16,6%.

    – Um professor de nível 1, com salário de R$ 1.200, já perdeu R$ 3.600 – contabilizou a presidente Vitalina Gonçalves, na assembleia que durou mais de quatro horas e lotou o CTG Aldeia dos Anjos de funcionários ligados aos sindicatos dos professores e dos municipários para também analisar um aumento de contribuição para evitar a falência já no ano que vem do Ipag Saúde, o plano de saúde de 12.139 servidores ativos, inativos e seus dependentes.

    Nas projeções apresentadas sobre dados do Tribunal de Contas do Estado (TCE), o SPMG sustenta que a receita comporta a pedida salarial sem ultrapassar o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

    – Depende da vontade política do prefeito. Há espaço para repor o que foi comido dos salários e também para negociar um ganho real.

    Na conta do sindicato, mesmo que a receita corrente líquida ficasse congelada nos R$ 600 milhões de 2017, incluindo salários e contribuições do governo para o Ipag Previdência e o Ipag Saúde, o limite de gastos de 51,3% previsto pela LRF não seria ultrapassado com o reajuste.

    – Com 15% iria a 48%, com 18% iria a 49% e com 20% a 50,35% – apontou a diretora Marli Medeiros, que também fez os cálculos projetando um crescimento de 5% em 2018, que elevaria a receita para R$ 630 milhões, e deixaria o comprometimento da receita em 46,55% para uma reposição de 15%, de 47% para 18% e de 47,56% para os 20% com ganho real.

    – Os 5% que trabalhamos são uma projeção conservadora, já que deve fechar em 8% – calculou, mostrando gráficos que mostram que, não fosse a marolinha que virou um tsunami de crise em 2015, a receita em Gravataí poderia ter se mantido numa média crescimento chinês de 10%.

    – Se nosso salário tivesse crescido na mesma proporção da receita seria hoje 26% maior – calculou outra diretora, Irene Kirst, observando que enquanto a Prefeitura arrecadou 8% a mais a cada ano, a despesa com pessoal caiu 6%.

    – Em outras palavras, o funcionalismo está financiando a administração pública – avaliou.

    No ano passado, sem reajuste, os servidores da educação pararam por uma semana. Na assembleia desta segunda, ainda não se falou em greve.

     

    Governo abre negociação

     

    Procurado pelo Seguinte:, o coordenador de Comunicação Luiz Fernando Aquino informou que ninguém do governo daria entrevistas sobre os dados apresentados pelo sindicato.

    Ainda pela manhã o governo enviou ofício aos sindicatos informando a disposição de abrir nos próximos dias as negociações das pautas de 2017 a 2019 – o que não se resume a pedida salarial de 20%.

     

    Opinião

     

    É notória a posição do prefeito de reduzir os gastos com o pessoal para investir em obras e serviços, num mantra que permeia a administração, de que é preciso governar pensando em quase 300 mil habitantes e não elevando os gastos quase ao limite para beneficiar os 5 mil funcionários públicos.

    Tanto o Plano Plurianual 2018-2021, quanto o Orçamento de 2018, já aprovados pela Câmara, por exemplo, o reajuste previsto é zero.

     

    LEIA TAMBÉM

    Sem resolver Ipag, funcionalismo pode ter salário congelado por 15 anos

     

    SOS Ipag Saúde

     

    Ainda hoje o Seguinte: – que já tinha antecipado a íntegra do Estudo Atuarial que alerta para o risco de falência do Ipag Saúde – traz reportagem sobre as decisões da assembleia sobre como o funcionalismo pretende salvar o plano de saúde.

     

    LEIA TAMBÉM

    Sem aumentar contribuição, servidores podem ficar sem plano de saúde

    20 usuários custam 10 milhões ao plano de saúde do funcionalismo

    • crise do coronavírus
      As mortes sem rosto da COVID 19 em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • política
      ’Político alvo’ desafia abertura de ’CPI das fake news’ na Câmara de Gravataí; as bravatas e verdades múltiplas
      por Rafael Martinelli
    • 3º Neurônio | humor
      Cloroquinices
      por Fraga
    • crise do coronavírus
      Servidores da Procuradoria testaram negativo para COVID 19 em Cachoeirinha
      por Redação
    • crise do coronavírus
      De quanto será socorro federal a Gravataí, Cachoeirinha e Glorinha; funcionalismo com salários congelados até 2022
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Metade da população de Gravataí é ’grupo de risco’ para COVID 19; alerta aos ’covidiotas’
      por Rafael Martinelli
    • política
      Zaffa saiu da Havan como candidato a prefeito de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • negócios
      Luciano Hang e Marco Alba na ’inauguração surpresa’ da Havan Gravataí; assista
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      ’Gripezinha’, ’carreatas da morte’, Páscoa, reabertura e Dia das Mães; a progressão da COVID 19 em Gravataí e Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Advogada de Gravataí e empresa de Cachoeirinha alvos da PF; os políticos suspeitos são outros
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Por que hospital de campanha de Gravataí atrasou 30 dias; sem tirolesa ou ’Covidão’
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Pesquisa mostra aprovação a medidas de Miki na pandemia; siga na íntegra
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Morador do São Vicente é quarta vítima da COVID 19 em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Uma máscara para 30 dias na UPA; vereador denuncia empresa terceirizada
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Contágios em famílias de Gravataí mostram perigo do vírus; é homicídio, não suicídio
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Gravataí não terá ’apartheid escolar’; Marco Alba, proíba o governador de mandar alunos pobres para sala de aula!
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Gravataí não volta às aulas em junho; alerto para o ’apartheid escolar’
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      5 profissionais da UPA de Gravataí tem COVID; é o ’novo normal’
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Em nota, vereador de Gravataí reage à ’denúncia das fake news’
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      A reinvenção do comércio de Gravataí; o exemplo do Doug
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Áudio de vereador está no Ministério Público em ’denúncia das fake news’; ouça
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Cachoeirinha supera Porto Alegre em incidência da COVID; um dia de 23 confirmações
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Cristiano Abreu | EDITOR | cristiano@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.