notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 20/07/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    opinião

    Cena da madrugada dos horrores no Senado brasileiro

    Congresso não é puteiro; puteiro tem regras

    por Rafael Martinelli | Publicada em 03/02/2019 às 00h23| Atualizada em 11/02/2019 às 12h04

    As instituições brasileiras estão brumadinhos. Vergonhosa eleição para Presidência do Senado, a casa que deveria zelar pelo equilíbrio e fiscalizar o cumprimento da Constituição, mas mudou o verbo para velar.

    Não só por comportamentos, sopapos ou discursos – já que talvez seja insuperável aquela pantomima de congressistas da pior espécie votando contra a corrupção, pela família e em nome de Deus, como registra nossa história recente.

    Muito menos pelo eleito ser Davi Alcolumbre (DEM-AP), um senador do baixo clero, como era Severino Cavalcantti ao presidir a Câmara Federal até renunciar, flagrado num ‘mensalinho’.

    A lama vem é da burla promovida no Legislativo a uma decisão do Supremo, para, ao que tudo indica, agradar ao Executivo.

    Goste-se ou não do candidato com nome de entidade de conto de H. P. Lovecraft, que para testar a 'nova política' você puxa ficha fácil no Google, ou odeie-se ou não os que representam a ‘velha política’ dos Renans, Collors & Cia, o voto é secreto, conforme o regimento da câmara alta. Nem deveria ser necessária uma manifestação do STF, como fez Dias Toffoli na madrugada de um país que distorce suas leis inclusive nos domingos, em meio a férias ou em telefonemas de código 00.

    Com ou sem continência, não é uma espécie de fraude mostrar a cédula?

    Aos defensores da transparência – mas tem que ser aquela de Coaf! – é preciso registrar que nenhum político estava proibido de ir ao microfone e anunciar em quem votou.

    E já que falamos em fraude, impossível não ter assustado aos defensores do voto em papel o fato de, em colégio eleitoral de 81 senadores, terem aparecido 82 cédulas!

    É como postou a jornalista Luciane Ferreira:

    – Nesta eleição do Senado só falta aparecer um cara rasgando os votos como no Carnaval de SP.

    Mesmo com tanta gente feliz, mais uma vez sinto a obrigação profissional de jornalista de atuar como um advocatus diaboli e não como um caça-cliques. É que esse esgarçamento de regimentos internos, do código penal, do código de processo civil, enfim, da Constituição, sob a justificativa de um bem maior, faz mal para a democracia.

    São palmas que, além de invariavelmente servirem aos donos da bola (joguem eles com a direita, canhota ou batam com as duas), seduzem e tranquilizam políticos e magistrados cada vez mais temerosos com metralhas disparadas por teclados no Grande Tribunal das Redes Sociais – aquele lugar onde todo brasileiro é impoluto e, se você encontrar um corrupto, pequeno ou grande, não pergunte em português, tente um “Who are you?”, já que o inglês é língua universal.

    Mesmo que muitos acreditem em Deus acima de todos, a medida do certo ou errado é feita pela régua dos homens, suas circunstâncias e interesses, na hora de escolher entre fumantes e não-fumantes.

    Errado estava Cazuza e seu “transformam o país inteiro num puteiro”. A canção precisaria de adaptação neste Brasil da posse de deputado com chapéu e uma jovem sentada no colo.

    Puteiro tem regras.

     

    LEIA TAMBÉM

    Os culpados de sempre e o foro dos privilegiados

    • opinião
      Decodificando a entrevista do ’filho do Marco Alba’
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Edir sobre renúncia de Abílio; A verdade saindo do poço
      por Rafael Martinelli
    • personagens
      Histórias de um brigadiano
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Farra das diárias sai na RBS; viajantes têm cúmplices
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      SUS deveria ser só para quem precisa; certo é Jones no Moinhos
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      RS quer trocar por imóveis dívida de 24 mi com Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      A fábrica de kart de Cachoeirinha
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      As ausências na foto de Marco Alba e seus vereadores
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Só justiça evita perda de 45 médicos em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Filha de Abílio apoiou Marco; prints desmentem
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Flagrado novo carro da GM de Gravataí
      por Silvestre Silva Santos
    • opinião
      Autor do golpeachment contra Miki vira político
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Bandidos na TV; Deltan, Moro e a Vaza Jato
      por Rafael Martinelli
    • pontes do parque
      Contagem regressiva para novas pontes do Parque dos Anjos
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.