notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 15/11/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    entrevista

    Paulo Silveira, Mário Bruck e Luis Stumpf, na Câmara de Gravataí

    Não seria natural outro candidato que não Miki, diz presidente do PSB RS

    por Rafael Martinelli | Publicada em 08/08/2019 às 17h41| Atualizada em 19/08/2019 às 17h17

    Mário Bruck, presidente estadual do PSB desde que José Stédile assumiu a secretaria de Obras do governo Eduardo Leite, foi ao kinderovo da Câmara confirmar o apoio à candidatura do vereador Paulo Silveira à Prefeitura de Gravataí.

    – Agradeço a confiança e estou pronto, com a inspiração do saudoso Eduardo Campos. O partido sempre foi protagonista nas eleições municipais e em 2020 não será diferente – disse, na reunião em seu gabinete, o parlamentar em segundo mandato e presidente municipal.

    O Seguinte: também perguntou a Mário sobre a crise que vive o partido em Cachoeirinha, a segunda maior prefeitura da sigla, comandada por Miki Breier.

    Siga os principais trechos da entrevista.

     

    Seguinte: Em Gravataí o partido parece em paz. Paulo foi escolhido candidato com apoio dos vereadores Carlos Fonseca e Wagner Padilha. Na turbulenta relação interna em Cachoeirinha, Miki é o candidato à reeleição?

    Mário – O projeto do PSB é ter candidaturas às prefeituras de municípios com mais de 40 mil eleitores. Em Gravataí, contamos com Paulo Silveira para a missão. É uma eleição sui generis, sem coligações para os legislativos e a primeira nos municípios com fundo partidário. É momento de apresentar nosso projeto, mostrar a cara do partido, permitir ao eleitor identificar quem é quem. O PSB foi fundado em 47 num momento semelhante ao de hoje, uma divisão intolerante entre comunistas, totalitários e liberais. Representamos o socialismo moderno, democrático, brasileiro. Já Cachoeirinha ainda tem feridas decorrentes da divisão na última campanha...

     

    LEIA TAMBÉM

    Paulo Silveira para prefeito; quem para ele é ’nova’ ou ’velha’ política

     

    Seguinte: Entre os grupos representados por Miki e Juliano Paz;  Stédile e Vicente?

    Mário – Sim. Acredito que faltou maturidade a todos. Mas dar toda liberdade às direções municipais na escolha das candidaturas é característica de nosso partido a direção estadual.

     

    Seguinte: Não há arrependimento por uma falta de intervenção, já que Stédile não conseguiu a reeleição para Câmara Federal por menos de 800 votos?

    Mário – Poderíamos ter barrado candidaturas em nosso congresso estadual, mas preferimos respeitar as decisões locais. Mas é sim um exemplo para reflexão e muita psicologia.

     

    LEIA TAMBÉM

    Marco Barbosa é só um sintoma do cada um por si no PSB

     

    Seguinte: E Miki, é, para o presidente estadual, o candidato à reeleição?

    Mário – É o prefeito, o primeiro da fila. Não seria natural, e nem uma boa, termos outra candidatura. Mas é uma decisão do PSB de Cachoeirinha, que tem outras lideranças fortes que tem o direito, como qualquer filiado, de pleitear uma candidatura. É natural em um partido há 16 anos no governo e com um projeto vitorioso, pelo menos até a última eleição, quando não elegemos deputado estadual e federal da cidade.

     

    Seguinte:  Stédile quer ser candidato a prefeito?

    Mário – Não vejo essa disposição do Stédile em concorrer à Prefeitura.

     

    Seguinte: O PSB não teme perder Miki por uma falta de definição sobre a reeleição? Sabe-se do assédio do PSD e do PTB, que parecem estar formando um ‘centrão’ na região, com atuais prefeitos ou candidatos às prefeituras de Gravataí, Canoas, Viamão e Glorinha, já de olho na eleição para o Palácio Piratini em 2022?

    Mário – Estranharia uma saída do Miki. Ele tem muita afinidade programática e filosófica com o PSB. Por óbvio seria uma grande perda. E nosso projeto de candidaturas às prefeituras também mira em 2022, quando disputaremos o governo do Estado.

     

    LEIA TAMBÉM

    Como Miki se encaixa em jogada que mira Palácio Piratini

     

    Seguinte: Em Gravataí, o partido perdeu para o PDT Anabel Lorenzi, sua maior expressão eleitoral nas últimas três eleições municipais.

    Mário – Anabel chegou no PSB como uma dissidência do PT e sempre teve nosso apoio para grandes tarefas em Gravataí, no RS e Brasil. Lamentamos, mas temos a consciência tranqüila: foi escolha dela seguir outro caminho.

     

    LEIA TAMBÉM

    Não sirvo para poste ou laranja, diz Paulo Silveira; o presidente do PSB e a saída de Anabel)

     

    Seguinte: Não falta mais apoio da direção estadual para Miki? O prefeito pareceu sozinho quando precisou aprovar o corte de vantagens do funcionalismo em 2017 e também na crise que envolveu vereadores do partido favoráveis ao seu impeachment este ano.

    Mário – O PSB sempre esteve com Miki. Ninguém gosta de medidas duras, como as que ele teve que tomar logo ao assumir, mas a direção estadual nunca ficou contra o prefeito. E, nas disputas internas decorrentes da polêmica do impeachment, agimos como instância julgadora. A vereadora Jack (Ritter) foi suspensa pelo partido no município, mas, na estadual, avaliamos que o processo não tinha garantido direito de defesa e devolvemos à instância local. Porém, o PSB estadual emitiu nota em defesa de Miki e contra o impeachment.

     

    Seguinte: O autor do impeachment prestava serviços ao PSB.

    Mário – Não para a direção estadual. O que fizemos foi pedir aos municípios que contratassem assessoria jurídica para prestação de contas e o advogado ofereceu o melhor preço e serviço. Nem sabia que era filiado ao partido na época e nem que tinha trabalhado na campanha de Miki.

     

    LEIA TAMBÉM

    Justiça derrubou truque do golpeachment contra Miki e Maurício; morte por politicagem e parenticídio

     

    Seguinte: Como avalias o governo Miki?

    Mário – O prefeito teve dificuldades no início pela crise econômica que, desde 2015, derrete a economia brasileira. Acredito que enfrentou bem a situação e Cachoeirinha está voltando a crescer, paga salários em dia... Miki tem minha confiança.

     

    Seguinte: O PSB estadual vetará aliança com algum partido em 2020 nas eleições municipais?

    Mário – A princípio, não. Nacionalmente, não apoiamos Bolsonaro na última eleição. Mas respeitaremos as realidades locais. Se o DEM, ou um partido da extrema direita apoiar nosso projeto que busca o crescimento econômico com a valorização do ser humano, ótimo. Difícil seria o PSB apoiar um projeto que não tivesse nossa cara, que não defendesse os trabalhadores, as minorias.

     

    Seguinte: Então, por analogia, se o PSB está no governo estadual, é porque Eduardo Leite (PSDB) tem essa cara?

    Mário – O movimento do governador para alterar os critérios de distribuição de parte do ICMS para os municípios, a fim de estimular o investimento em educação, representa bem isso. É a social democracia, com a qual nos identificamos aqui e nos agradam representações dela na Alemanha, Espanha e com o socialismo moderno de Bernie Sanders, nos Estados Unidos.

     

    LEIA TAMBÉM

    Entrevista com Miki; governo, política, Stédile, Leite, Bolsonaro e a vida pessoal

    PERFIL PAULO SILVEIRA | O guri do Sítio Gaúcho

    • 3º Neurônio | humor
      Tudo, tudo, tudo
      por Fraga
    • opinião
      Vicasa queria 57 milhões de indenização da Prefeitura
      por Rafael Martinelli
    • educação
      A interditada Tuiuti retorna às aulas na segunda-feira
      por Silvestre Silva Santos
    • tecnologia
      Um App para salvar vidas em Cachoeirinha
      por Redação
    • cultura
      Com Zé Victor Castiel, abre segunda Feira do Livro
      por Redação
    • ônibus
      11 linhas de Cachoeirinha autuadas por irregularidades
      por Redação
    • opinião
      Gravataí ganhou da fake news do Sarampo!
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Justiça nega suspensão de CPI contra vereadora
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Que loucura essa aliança do Dimas!; é ‘A Fazenda’
      por Rafael Martinelli
    • educação
      Estado interdita mais 12 salas de aula da Tuiuti
      por Silvestre Silva Santos
    • opinião
      A MP de Bolsonaro; análise além de discursos e tweets
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Conselheira tutelar eleita é cassada; Ávila defende
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      A desastrosa entrevista de Stédile sobre Miki
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Marco Alba não rifou ex-vice-prefeito Pinho
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Quem fica com quem em governo e oposição
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Quase 3 mil já saíram do ISSEG; prazo de adesão é prorrogado
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Festa para Fernando Deadpool virar político
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Reflexos do ’Lula Livre’ na eleição Gravataí 2020
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Um dia após denúncia, ex-vice-prefeito de Gravataí pede demissão
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.