notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 02/06/2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    crise do coronavírus

    Leitos hospitalares | Foto AGÊNCIA BRASIL

    ’Ricos’ e pobres na ’fila única’ da UTI; de Sogil, Celta ou Renegade

    por Rafael Martinelli | Publicada em 08/05/2020 às 17h55| Atualizada em 20/05/2020 às 13h51

    Leitos privados – seja de Gravataí, Porto Alegre, São Paulo, Rio ou Brasília – podem ser ‘ocupados’ por pacientes do SUS, caso a taxa de ocupação das UTIs chegue ao limite com a crise do coronavírus. Nem a Unimed que pago garante minha internação. Ricos do 1%, que não podem embarcar doentes para Miami, ou ‘ricos de Celta ou Renegade’, já pensaram nisso, ao (des)respeitar o distanciamento social, ou mandar os pobres para as ruas? Pois está chegando a hora. O uso ‘pactuado’ já começou. Mas a ‘fila única’ está na Constituição.

    Para entender o tamanho da polêmica: são 430 mil leitos de internação no país, 62% na rede privada – destes 52% à disposição do sistema público, entre eles hospitais filantrópicos, como o Dom João Becker/Santa Casa, de Gravataí.

    O Rio Grande do Sul, com 70,9% de taxa de ocupação, já prepara a compra de leitos privados. Em live na tarde desta sexta, o governador anunciou a publicação no Diário Oficial do chamamento público 04/2020, que pede adesão de hospitais privados e filantrópicos à lista de UTIs disponíveis no Estado. O pagamento, de R$ 1,6 mil/dia, que é a tabela do SUS, seria feito conforme a requisição dos leitos.

    – É parte do Plano de Contingência antecipar a falta de leitos de UTI. Públicos ou privados que adquirirmos serão controlados pela Central de Regulação do Estado – resumiu Eduardo Leite.

    No país, a Prefeitura de São Paulo já fechou parceria com o hospital da Cruz Vermelha. ‘Comprou’ 54 leitos (20 de UTI) por R$ 2.200 por leito. O Ministério da Saúde entrou com os R$ 1.600 da tabela SUS e o governo municipal com o restante. Já foram identificados 800 leitos privados que podem ser adquiridos.

    Planos de saúde estimam o custo de uma UTI em hospital privado entre R$ 2 mil e R$ 3,5 mil. Financeiramente, um bom negócio caso os leitos estivessem ociosos, mau negócio em meio à incerteza de uma pandemia, quando aqueles que pagam planos privados contam com internação garantida caso precisem – por COVID-19, ou outro motivo.

    Mas o que hoje é um convite, pode virar uma convocação. Diz a Constituição, no Inciso XXV do Artigo 5º: “no caso de iminente perigo público, a autoridade competente poderá usar de propriedade particular, assegurada ao proprietário indenização ulterior, se houver dano”.

    Por estar em ‘perigo público’, um pobre, sem leito no SUS, ao ocupar uma UTI privada não suplanta qualquer argumento de ‘direitos adquiridos’ por quem paga plano privado?

    – Dói, mas tem que fazer. Porque senão brasileiros pobres vão morrer e brasileiros ricos vão se salvar. Não tem cabimento isso – disse à coluna de domingo de Elio Gaspari o médico sanitarista Gonzalo Vecina Neto, emprestando o currículo de ex-diretor da Agência de Vigilância Sanitária e ex-superintendente do Hospital Sírio-Libanês para defender a ‘fila única’.

    Ao fim, quando o presidente da XP Investimento diz que “o pico da COVID-19 nas classes altas já passou”, e acrescenta que “o desafio é que o Brasil é um país com muita comunidade, muita favela, o que acaba dificultando o processo todo”, não entendo a ‘comemoração’. Mais pobres já estão morrendo sim, mas também pode faltar leitos para ricos e remediados.

     

    LEIA TAMBÉM

    Sem distanciamento social Gravataí poderia ter mais de 1,3 mil mortes; às ’reginas duartes’

    Gravataí é 13º do mundo em letalidade da COVID 19; o engano dos números

    Mapa dos leitos mostra maior ocupação e gravidade da COVID 19 na região Gravataí-Cachoeirinha

    Marco Alba: Se cada um não colaborar, comércio fechará; suecos ou suicidas?

    As regras de Gravataí para comércio abrir e população andar na rua; expectativa e realidade

    Clique aqui para ler a cobertura do Seguinte: para a crise do coronavírus

    • negócios
      Gravataí receberá mais três empreendimentos de alto padrão
      por Redação
    • educação
      A ’obra do coração’ do prefeito Marco Alba
      por Redação
    • justiça
      O que vamos dizer para o Gu, que perdeu o pai assassinado na Rondon?
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Morada do Vale é ’epicentro’ da COVID 19 em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      100 infectados em Cachoeirinha são potenciais 20 mil; o maio do contágio
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Marco Alba alerta para período crítico da COVID 19 em Gravataí; tem novos decretos para comércio e aulas
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      O ‘urubu da imprensa’ errou, para menos; contágio em Gravataí cresceu 245 por cento
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Ele grita a sua impotência. Ou: Vamos ver como seria o ’gorpe do Parmito’
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      As mortes sem rosto da COVID 19 em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • política
      ’Político alvo’ desafia abertura de ’CPI das fake news’ na Câmara de Gravataí; as bravatas e verdades múltiplas
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Gravataí receberá 36 milhões de socorro federal; funcionalismo com salários congelados até 2022
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Metade de Gravataí é ’grupo de risco’ para COVID 19; alerta aos ’covidiotas’
      por Rafael Martinelli
    • política
      Zaffa saiu da Havan como candidato a prefeito de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • negócios
      Luciano Hang e Marco Alba na ’inauguração surpresa’ da Havan Gravataí; assista
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      ’Gripezinha’, ’carreatas da morte’, Páscoa, reabertura e Dia das Mães; a progressão da COVID 19 em Gravataí e Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Por que hospital de campanha de Gravataí atrasou 30 dias; sem tirolesa ou ’Covidão’
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Cristiano Abreu | EDITOR | cristiano@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.