notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 22/06/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna do silvestre

    Poder fazer obras de arte, como a duplicação das pontes do Parque dos Anjos, sem depender do governo do estado, é uma das vantagens da municipalização

    5 vantagens de municipalizar a RS-030 para agilizar Pontes do Parque

    por Silvestre Silva Santos | Publicada em 15/12/2017 às 15h23| Atualizada em 23/12/2017 às 18h26

    A administração municipal de Gravataí aguarda apenas que o governador gaúcho, José Ivo Sartori (PMDB), sancione o ato para que a lei seja publicada no Diário Oficial do Estado e passe a valer de fato a transferência de trechos da RS-020 e RS-030 para a Prefeitura Municipal.

    O projeto de lei (PL 256 2017) do Executivo estadual foi aprovado pela Assembleia Legislativa  na terça-feira (12/12) desta semana por 52 deputados. Não houve votos contrários. A votação de terça foi anunciada pelo prefeito Marco Alba (PMDB) na última reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codes), dia 6.

    Os trechos que estão sendo entregues pelo estado, ao município, são 1.450 metros da RS-020 entre a rótula da parada 61 e a rótula de acesso à avenida Alexandrino de Alencar (antiga Traffo), e 4.200 metros da RS-030, entre a rótula com a RS-118 e o acesso à fábrica da Pirelli, no Parque dos Anjos.

    A ideia da administração é fazer a duplicação da RS-020, nos trechos ainda de pista simples, até a principal avenida de acesso às Moradas, bem como a duplicação das pontes do Parque, com parte dos R$ 100 milhões do financiamento que está prestes a ser liberado pela Confederação Andina de Fomento (CAF).

     

    Mas, afinal, quais as vantagens que o município tem ao assumir trechos das rodovias estaduais?

     

    1

    Com a municipalização a Prefeitura pode fazer a manutenção dos trechos sem ter que pedir autorização ao Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), hoje responsável pelas rodovias.

     

    2

    Com a municipalização a Prefeitura pode realizar investimentos como a duplicação de parte da RS-020 sem depender da aprovação de projeto pelo Daer. É bom lembrar que para a duplicação da Centenário - em andamento - a análise do projeto e autorização para que a Prefeitura tocasse a obra demoraram nada menos que oito meses.

     

    3

    Com a municipalização a Prefeitura pode fazer investimentos em obras de arte, como a duplicação das pontes do Parque dos Anjos, sem que o projeto seja obrigatoriamente elaborado pelos técnicos da Secretaria Estadual dos Transportes.

     

    4

    Com a duplicação a Prefeitura pode instalar e retirar ou, ainda, mudar de lugar, os semáforos ao longo do trecho, atendendo às necessidades do trânsito e sem que estudos neste sentido dependam de técnicos do estado.

     

    5

    E o principal: Com a municipalização a Prefeitura pode fazer todos os investimentos que estes trechos necessitam para dar maior agilidade ao trânsito de veículos (como já realiza em muitas benfeitorias) sem correr risco de apontamento pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), o que pode levar à exigência de o governante devolver os recursos aplicados, nas obras, aos cofres públicos do município.

     

    LEIA TAMBÉM

    Por que a Centenário antes das pontes do Parque

    COM VÍDEO | Agora é a avenida Centenário, depois a Adolfo e as pontes do Parque

    • a partir de sábado
      Tarifa dos ônibus municipais de Gravataí vai a 4,40
      por Redação
    • coluna do silvestre
      Mobilidade: em cinco anos a cidade vai parar
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • coluna do silvestre
      Para onde e como Gravataí vai crescer
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • da escola
      O Gustavo da Santa Cecília foi cuidar das águas do Brasil
      por Redação
    • impeachment
      A volta da polêmica sobre dívida da cassação de Rita
      por Rafael Martinelli
    • pai merdanelles
      Qual seleção da Copa seria cada vereador de Gravataí?
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Qual a Gravataí que queremos para o futuro?
      por Silvestre Silva Santos
    • na copa
      COM VÍDEO | O balão da Costa Rica em Gravataí
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • na copa
      OPINIÃO | Os assediadores da russa podem ser você
      por Rafael Martinelli
    • luto
      Antes do tie break: o legado de Aline Fofonka
      por Róbinson Gambôa
    • luto
      120 em 40, uma intensa história de vida
      por Cláudio Wurlitzer | Especial
    • luto
      Nada está no lugar; uma homenagem a Denise Medonha
      por Rosane Castro
    • coluna do silvestre
      A Souza Cruz voltou, a Herbalife chegou
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • atenção
      O que muda no trânsito da parada 72
      por Redação
    • a venda do hospital
      OPINIÃO | Marco Alba fez bem em bancar a Santa Casa
      por Rafael Martinelli
    • na copa
      Deu sono na estreia do Brasil e do Miguel
      por Eduardo Torres
    • na copa
      OPINIÃO | Estreia com a cara do Brasil do golpeachment
      por Rafael Martinelli
    • nosso hospital
      COM VÍDEO | Hospital de Gravataí é da Santa Casa
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • saneamento
      Gravataí e Cachoeirinha no ranking do saneamento
      por Eduardo Torres
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.