notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 25/11/2017

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    ensinamentos valiosos

    No mundo do trabalho, do limão a limonada

    por Leandro Melo | Publicada em 10/07/2017 às 12h14

    Quem bom se você não precisou passar por maus bocados em sua vida profissional. Mas saiba que mesmo aquele emprego terrível pode te trazer ensinamentos valiosos. Se você se encontra nessa situação o texto a seguir vai dar uma força até que tudo melhore.

     

    Quatro lições que você aprende em um emprego do qual você não gosta

     

    De paciência à experiência: tem muita coisa que você pode aprender em um emprego que você detesta. Vamos falar a verdade: em algum ponto da sua vida profissional (provavelmente no começo dela), você vai ter um trabalho que você detesta. Aquele tipo de emprego que te faz ficar triste no domingo à noite e faz com que sair da cama na segunda-feira seja uma tarefa épica. Com certeza, não foi com isso que você sonhou enquanto estava na faculdade.

    A carreira profissional, hoje em dia, está ligada diretamente à felicidade e realização pessoal. Muitas vezes, estar infeliz com o trabalho significa estar infeliz com a vida. Isto tem seus prós e contras: a qualidade de vida pode decair ao exercer uma função profissional que te faz infeliz; ao mesmo tempo, faz com que você se esforçe em melhorar e almeje uma vaga ou posição melhor.

    A verdade é que mesmo quando você não gosta do seu trabalho, há sempre coisas a se aprender e que poderão ser aplicadas em uma vaga melhor, quando você encontrar um emprego que te faça mais feliz. Por isso, com base em uma matéria do USA Today, listamos a seguir quatro lições que você aprende em um emprego que você não gosta:

    1. Enxergue sempre o lado positivo das coisas
    Você já deve estar cansado de saber: a vida não é um conto de fadas. Mesmo quando escapar deste trabalho que tanto desgosta, você ainda terá de enfrentar desafios e circunstâncias adversas com frequência em um emprego melhor. A vida é assim!

    A sua vantagem é que você já terá muita experiência lidando com adversidades na sua vaga anterior. Quer treinamento melhor para aprender a ver sempre o lado positivo das coisas do que em um emprego ruim? Aproveite a oportunidade para treinar o otimismo, mesmo que isto signifique apenas almoços deliciosos e gratuitos ou um projeto que você estiver comandando.

    Acredite, a habilidade de evitar que o pessimismo te consuma será útil durante toda a sua carreira.

    2. A importância do comprometimento
    Grandes oportunidades não acontecem da noite para o dia. E se arrastar todos os dias para o trabalho quando ele te faz descontente exige uma dose cavalar de paciência e comprometimento. Claro que seria melhor dedicar-se à tarefa de encontrar outro emprego, mas as coisas não acontecem sempre no ritmo e na ordem que você deseja. Elas levam tempo e esta sua vaga atual pode ser o seu passaporte para algo melhor.

    Paciência é uma virtude! E recomendação e contatos são tudo no mundo profissional.

    Portanto, ao invés de fazer tudo pela metade e de má vontade, comprometa-se com a qualidade do seu trabalho. Use a primeira lição acima, pratique o otimismo e lembre-se que esta vaga é temporária. O comprometimento e a dedicação são qualidades que todos os empregadores admiram.

    3. Não se desespere por pouco
    Quando você já está de mau humor, qualquer coisinha pode te tirar do sério. Pequenos detalhes que não significariam nada para você não fosse pelo desgosto com o emprego, e que acabam por estragar o seu dia.

    Isto se aplica ao seu ambiente de trabalho, quando você está infeliz. Você vai se irritar com aquele colega que não para de falar ou com o teclado ruim do seu computador – estas são só mais algumas pequenas razões para o seu mau humor.

    Perder o controle do seu humor por pouco só servirá para te deixar mais infeliz em uma posição e ambiente que já não colaboram com o seu bem estar. Assim, mesmo que irritante, esta experiência está te ensinando uma lição valiosa: respire fundo e deixe a raiva se dissipar.

    Uma lição leva a outra: o otimismo está ligado à paciência, que está ligada ao comprometimento, que está ligado ao aprendizado, e assim por diante.

    4. Toda experiência tem valor
    Pode ser que o seu trabalho não tenha as características que você tanto esperava: um salário justo, o espírito de equipe, a promessa de subir de cargo, etc. Mas pode apostar que há no mínimo uma coisa muito importante que esta posição enfadonha está te ensinando: o que você NÃO quer para o seu próximo emprego.

    Tudo bem, esta lição não é tão agradável quanto um salário adequado e colegas de trabalho amigáveis. Mas não se engane! Às vezes, identificar o que você não quer é tão ou até mais importante do que saber o que você quer. Afinal, isto sempre é mais claro e evidente. Pode ser que você nunca tenha imaginado as consequências de trabalhar em um ambiente hostil e agora, com a experiência, você aprendeu os seus limites e sabe o que não te agrada.

    Use estas informações para tomar sabiamente as suas próximas decisões profissionais. Pelo menos você sabe de uma coisa: o aprendizado ajudará a evitar cair na mesma situação novamente.
    Brenda Bellani

    • minuto seguinte
      Jones entre os 15 melhores parlamentares
      por Rafael Martinelli | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • festa campeira
      Rodeio espera 100 mil pessoas até domingo
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • histórias da bola
      O Gre-Nal do ministro
      por Cláudio Dienstmann
    • minuto seguinte
      Marco Munhoz vem a Gravataí falar sobre o futuro da GM
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • dicas
      O verdadeiro e o falso na Black Friday
      por Fraga
    • 3º Neurônio | festil
      É noite de Oscar em Gravataí
      por Rafael Martinelli | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • no por do sol
      Ex-BBB vem a Gravataí para festa na Casa dos Açores
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • rio gravataí
      Arrozeiros perderão licenças no Rio Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • a duplicação
      Agora é a Centenário, depois a Adolfo e as pontes
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • rio gravataí
      A medida da sujeira e do veneno na água que bebemos
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.