notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 25/05/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    no mundo do trabalho...

    ... o Candidato Profissional

    por Leandro Melo | Publicada em 04/09/2017 às 11h45

    No rádio, por volta das 6h45 de hoje, Márcio ouviu a repórter apresentar dados de uma pesquisa que apontava a atual crise de Emprego do Brasil como a pior dos últimos 30 anos. E entre uma mordida e outra no pão cacetinho, soube que além dos atuais 14 milhões de desempregados, outros 10 a 12 milhões de brasileiros seguem em postos de trabalho extremamente precarizados. Bebeu o último gole de café puro, agora quase morno e levantou-se da mesa. Logo mais, nessa segunda-feira, participaria da nova etapa do seu processo seletivo.

    O Márcio é desses caras bastante esforçados, com poucos amigos e muitos sonhos. Quem o conhece, sempre fala bem dele, só não compreende como ainda “não pegou numa boa empresa”, ou, como “não se arranjou na vida”. Cursou Administração, fez um ou dois cursos de especialização e segue na luta. “Não está fácil pra ninguém”, dizem.

    Mas hoje vai! Chegou na empresa cumprimentando o porteiro como se o conhecesse há tempos. Essa é a terceira etapa e já está ambientado, tanto que foi logo ao departamento de recursos humanos depois de comentar do futebol com pessoal da limpeza. Com o aspirador na mão, o senhor que limpava o corredor disse confiante que torcia por ele.

    Passou um, passaram quatro e chegou a vez dele. A entrevista agora era com o gerente da área de contratação que o cumprimentou destacando os bons resultados das testagens iniciais. E ao encaminhar o final daquela etapa, fez perguntas que achava cruciais:

    – Diga-me um defeito seu.

    – Sou muito perfeccionista – disse Márcio fazendo uma ruga vertical na testa.

    – Claro, mas conte-me algo prático do seu dia-a-dia que considere um defeito.

    – Hum! Sou obsessivo com horário. Pontual sempre!

    O entrevistador insistiu diante daquela suposta imagem de Candidato Perfeito:

    – Então não falemos em defeitos, mas me diga um ponto de melhoria. Algo que gostaria de mudar em você.

    Ele pensou um pouco e respondeu:

    – Eu coloco os interesses da empresa ou das atividades às quais me dedico acima de interesses pessoais.

    Aos 29 anos, um pouco acima do peso, Márcio tem facilidade de sair-se bem em entrevistas de emprego. Mas, no fim, de alguma forma, se auto-sabota. Falta às agendas, falha em dinâmicas de grupo ou simplesmente desiste. Nesta empresa, foi diferente. Tudo correu bem e quase com surpresa recebeu a notícia da contratação.

    Finalmente chegou à sala onde assinaria o contrato, colocado diante dele com uma caneta preta já aberta, pronta para ser usada. Ele passou rápido os olhos pelo texto, pegou a esferográfica que parecia ter um peso bem maior que o normal para aquele tipo de material. Encostou a ponta de carboneto de tungstênio no papel, bem no início da linha para sua assinatura. Exitou! Tentou mais uma vez e nada. Voltou, os olhos para o dados pessoais para encontrar resposta. Via um CPF, um RG, um endereço, até um nome, mas nada parecia seu. Tantas foram as entrevistas, os textos que decorou sobre Missão, Princípios, Valores e Propósitos de empresas, que Márcio esqueceu dos seus próprios. Esqueceu-se de quem era.

    Pediu uns minutos, foi ao banheiro e mesmo o espelho não apresentou ideia melhor. O reflexo era uma grande interrogação. Não ele.

    – Você está bem? – perguntou um funcionário que o encontrou de volta ao corredor.

    – Claro que não. Serei contratado! – gritou, saindo em seguida.

    Soube-se que noutra oportunidade, o dono de uma recém aberta fábrica de móveis decidiu pagar o exorbitante valor da pretenção salarial de Márcio. Mas agora, preparado, treinou uma rúbrica simples, de duas letras e um traço, para ser usada em momentos de emergência.

    • dia de caos
      Tudo sobre a crise dos combustíveis
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • dias de caos
      OPINIÃO | Você, a vítima da greve dos caminhoneiros
      por Rafael Martinelli
    • esporte
      Vitória de mão cheia do futebol feminino
      por Eduardo Torres
    • transporte
      Linhas de ônibus mudam horários a partir desta quinta
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • mobilidade
      Seis meses para Prefeitura mudar as calçadas do centro
      por Silvestre Silva Santos
    • no tse
      PMDB recorre de absolvição de Bordignon
      por Rafael Martinelli
    • trânsito seguro
      Se beber... Balada Segura vai às vilas
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • câmara
      Vereadores precisam cuidar com projetos demagógicos
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Caminhoneiros fazem a GM parar a produção
      por Silvestre Silva Santos
    • opinião
      E os 17 milhões não eram só para wi-fi nas praças
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      Em ação o Big Brother da segurança de Gravataí
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • rio limpo
      Navegando com pachamama ao futuro do Gravataí
      por Rafael Martinelli | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.