notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 23/10/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    opinião

    Substitutivo foi apresentado em reunião dos 21 vereadores | Foto RAFAEL MARTINELLI

    VIAGENS DOS VEREADORES | Um projeto é pior que o outro

    por Rafael Martinelli | Publicada em 21/04/2017 às 20h30| Atualizada em 28/04/2017 às 16h06

    A mesa diretora da Câmara de Gravataí apresentou um substitutivo que consegue ser pior que o projeto original que já não dava fim às viagens dos vereadores.

    A proposta de Dilamar Soares (PSD) proíbe viagens pagas para cursos e congressos, mas permite à Câmara custear a ‘representação’ do vereador em atividades fora do Estado e até do país.

    A nova proposta capitaneada pelo presidente Nadir Rocha (PMDB), além de prever o custeio de viagens em ‘representação’, abre a brecha para cursos em Brasília.

     

    LEIA TAMBÉM

    A manhã em que as viagens não entraram na pauta

    EXCLUSIVO: Mesa diretora da Câmara vai propor hoje limite a viagens

     

    Se bem entendi, aprovada a ‘lei Dilamar’ um vereador teria sua viagem paga caso recebesse, por exemplo, o convite de um deputado federal para representar a Câmara em alguma atividade em Brasília.

    Se o convite partisse de um chefe de Estado, poderia até embarcar para o exterior, como fizeram três parlamentares que em 2012 representaram a aldeia nos Açores, Portugal.

    Já pelo substitutivo da mesa diretora valeria o mesmo desde que o vereador fosse convidado para uma atividade relacionada com as comissões que ele integra na Câmara.

    Assim qualquer debate envolvendo saúde em Brasília poderia ter a participação de um vereador da Comissão de Saúde da Câmara. Fosse o evento sobre a pílula contra o câncer ou um surto de malária.

    E cursos em Brasília continuariam liberados, sob a justificativa de que o parlamentar pode aproveitar a estadia para atrair emendas de deputados e recursos de ministérios na capital federal.

    É difícil encontrar nestes argumentos sustentação na realidade e tecnologia atuais. Para se qualificar, debater grandes temas da política e acumular currículo, os vereadores tem um bom salário para pagar suas despesas.

    Ou que se candidatem a deputado federal, aí o POA-BSB se justificaria.

    Provavelmente suas presenças são mais importantes aqui, atendendo as comunidades, fiscalizando o governo ou elaborando projetos de verdade para a cidade.

    Para buscar recursos, basta trocar um WhatsApp ou marcar um almoço, um chope ou uma missa com os deputados em Porto Alegre. Todos tem essa intimidade com seus representantes, que com dinheiro da Câmara Federal (onde a maioria só aparece de terça a quinta) mantém na capital gaúcha escritórios políticos – inclusive, quem sabe, com algum CC indicado por vereador.

    Até porque passar o pires nos ministérios é papel de prefeitos, sejam aqueles das maiores cidades que todo mundo conhece, ou os nunca visitados que levam cestas da colônia para mostrar potencialidades.

    É preciso atenção, porque o que está ruim - e custou R$ 1 milhão dos cofres públicos em diárias, inscrições e passagens aéreas entre 2013 e 2017 –pode piorar. Se os dois projetos acabam com cursos em destinos paradisíacos, também abrem a porteira para viagens ilimitadas para onde quer que seja.

    Gasto por gasto, que importa ao contribuinte se colou areia no dinheiro?

     

    LEIA TAMBÉM

    Câmara gastou R$ 1 milhão com viagens

     

    Ao fim, as duas propostas não acabarão com as viagens e poderão servir de desculpa para que o CâmaraTur seja retomado pela atual legislatura, onde a única viagem, de Roberto Andrade (PP) a Brasília, só foi aprovada porque o vereador pediu dispensa de diárias.

    Podemos estar próximos à institucionalização das ‘viagens do bem’.

    Como o Observatório Social entrou muito mal nessa história, batendo demais e criando uma guerra com os vereadores, não há perspectiva de um terceiro projeto chegar à Câmara.

    Aos que consideram as viagens desnecessárias, restará esperança de que não amenize entre os vereadores o medo das urnas, que nas últimas eleições tiraram mais de 8 mil votos da bancada das viagens e abateram muitos viajantes pelo caminho.

    Fato é que de 'fim das viagens' os dois projetos não tem nada.

     

    LEIA TAMBÉM

    GASTOS COM DIÁRIAS: o CâmaraTur em queda livre

    Bancada das diárias perdeu mais de 8 mil votos

     

    • caso eduarda
      OPINIÃO | Justiça à Eduarda, sim. Gotham City, jamais
      por Eduardo Torres
    • eleições 2018
      OPINIÃO | Gravataí ’endireitou’ entre 2014 e 2018
      por Rafael Martinelli
    • caso eduarda
      Divulgado retrato falado de suspeito da morte de menina
      por Eduardo Torres
    • violência
      Quem matou a pequena Eduarda?
      por Eduardo Torres
    • opinião
      OPINIÃO | Em Gravataí, todos arriscam perder, menos um
      por Rafael Martinelli
    • pequenas empresas, grandes histórias
      Hangar, a pioneira do som
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • operação solidária
      TRF4 absolve Marco Alba por unanimidade
      por Rafael Martinelli com TRF4
    • solidariedade
      COM VÍDEO | Diogo luta contra síndrome rara
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Como entendi nota das Irmãs do Dom Feliciano sobre eleições
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Como ficou a duplicação da Centenário
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Gravataí virou ’cidade-dormitório de votos’
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      Educação para o trânsito também fora da aula
      por Eduardo Torres
    • obras
      Plano de Marco prevê pontes e mais de 30 ruas até 2020
      por Rafael Martinelli | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.