RAFAEL MARTINELLI

A queda no PIB e a ‘GMdependência’: a verdade sobre Gravataí não ser mais a quarta economia gaúcha; Entre a narrativa e a vida real

Gravataí não é mais a quarta economia gaúcha conforme dados do PIB divulgados pelo Governo do Estado. São informações novas, mas cuja base de cálculo se refere a 2021.

Parafraseando James Carville, economista e marqueteiro de Bill Clinton, que cunhou a célebre frase “é a economia, estúpido!”, no caso da aldeia, a explicação é lógica: “é a pandemia, estúpido!”.

Antes que alguém esqueça das vidas perdidas – e salvas – e culpe o ‘fique em casa’, no caso de Gravataí é nada menos que o efeito da ‘GMdependência’.

Antes vamos às informações.

Gravataí perdeu cinco posições e passou a ser o município com o 9º maior PIB do Estado.

Os dados divulgados dia 15 pelo Governo do Estado são referentes a 2021 e consolidados nos últimos dois anos pelo IBGE.

Porto Alegre, Caxias do Sul, Canoas, Rio Grande, Triunfo, Passo Fundo, São Leopoldo e Pelotas superaram Gravataí.

Gravataí caiu de 2,26% para 1,77% a representação no PIB gaúcho, na relação dos dados de 2019 e 2021.

No segmento industrial está em 6º lugar, com R$ 3,3 bilhões de Valor Adicionado Bruto (VAB), que é o PIB menos o valor dos impostos, principalmente provenientes da fabricação de veículos, reboques e carrocerias.

Nos serviços desceu para o 10º lugar, arrecadando R$ 5,269 bi.

Vamos à análise então.

A queda está diretamente ligada à paralisia da GM em 2021, na crise do covid-19. Dos poucos meses em que trabalhou, produziu muito menos do que a média, considerando que não havia insumos (semicondutores, especialmente).

Em 2019, a GM produziu R$ 13,7 bilhões; em 2021, foram R$ 6,4 bi. Ou seja, caiu à metade a fonte que representa a metade do PIB do município.

Já em 2022 produziu e vendeu R$ 15 bi, ou seja, voltou acima do patamar anterior, o que leva o secretário da Fazenda Davi Severgnini a prever que “tranquilamente” Gravataí volta à 4ª posição quando for revelado o PIB de 2022.

– Não é por outra razão que estamos amargando queda de ICMS: em 2023, tivemos retorno de R$ 50 milhões menor do que em 2022 no imposto, e este patamar deve se repetir em 2024. Já em 2025, volta aos níveis anteriores, com folga – projeta o secretário, enviando tabela com dados mensais e os consolidados, ano a ano, cujos quadros finais apontam redução e crescimentos acumulados.

Clique aqui para acessar a ‘ideologia dos números’.

Ao fim, sem torcida ou secação, é falso usar este ranking como plataforma político-eleitoral, tentando ‘culpar’ o governo Luiz Zaffalon (PSDB) pela queda no PIB, assim como também seria falso creditar aos governos Daniel Bordignon (PT) o crescimento exponencial de Gravataí no pós-GM.

Reputo construtivo, e real, não ‘narrativa’, debater na campanha eleitoral de 2024 como tratarmos a ‘GMdependência’ a longo prazo.

Se a montadora der pinote levando metade do orçamento municipal e deixando como legado 100 mil habitantes a mais e suas necessidades diárias, como evitaremos Gravataí virar uma Alvorada?


LEIA TAMBÉM

A GM vai embora de Gravataí; O ’Tchau, Ford!’ e nós

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

3 respostas

  1. Gravataí virar Alvorada da onde meu caro?? Escrevendo bobagem novamente. Gravataí antes da GM já estava muito a frente de Alvorada, que nem tinha Distrito industrial antes de 2000. Mesmo assim empresas como Prometion, Dana e outras do Distrito Industrial de Gravataí mais a Marques Pan entre outras manteriam Gravataí entre os 10 maiores PIBs do RS. E sabe quando Alvorada passaria Gravataí sem a GM? Cerca de 30 a 40 anos, isso se Gravataí reduzir empreendimentos como condomínios, serviços e comercio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nossa News

Publicidade