BLOG DO RODRIGO BECKER

CANOAS | Fala de Nelsinho constrange PT, mas dificilmente muda rumo da Federação; o ‘nó’ entalado na garganta e a chance do viral

Plenária da federação, que era para apresentar pré-candidatos à Câmara, teve 'momento desabafo' de Nelsinho Metalúrgico.

Encontro de apresentação de candidatos da Federação Brasil da Esperança, que era para ser só uma celebração aos pré-candidatos do PT, PV e PCdoB, teve discurso inflamado de ex-deputado contra proximidade com Jairo Jorge

O vídeo está nas redes, rodou os grupos de WhatsApp e o blog publica aqui, logo abaixo, é da plenária da Federação Brasil da Esperança, na Câmara de Canoas. PT, PV e PCdoB promoveram o evento para que os pré-candidatos dos partidos pudessem se apresentar. Nelsinho Metalúrgico, que pôs o nome à disposição para concorrer a vereador pelo PT, é o protagonista da fala.

Para ele, a federação tinha que ter candidato a prefeito.

“Essa chapa que se elegeu e rompeu no meio do caminho é o pior desastre para Canoas. É impossível que uma plenária como esse fique parecendo uma plenária de alienados: se discute aqui chapa proporcional e ninguém fala de um projeto para a cidade de Canoas”, disse Nelsinho.

Mais adiante, ataca frontalmente Jairo Jorge.

“Um projeto para cidade longe dos partidos de direita, longe de quem usou o meu partido para se eleger prefeito e depois foi pensar em enriquecer, ele e a família dele”, apontou, sem citar nomes.

A fala de Nelsinho é dura, mas não deve mudar o rumo das relações que a federação mantém, hoje, com a frente que sustenta a provável candidatura de JJ em outubro. Não muda, digo, porque o PT não fará essa ruptura sozinho: tem que ouvir o PV de Cris Moraes, aliado também de Jairo, e o PCdoB, para quem, pelo mínimo, a parceria com JJ é indiferente.

Nelsinho, hoje, está só na pista dos que defendem uma candidatura própria de esquerda para prefeitura de Canoas. Mas isso não invalida os símbolos do que ele disse.

Parte do PT, de fato, se ressente de Jairo Jorge desde  2016. Prefeito que um altíssimo índice de aprovação à época, ele defendeu a candidatura de Beth Colombo, sua vice, que estava no Republicanos mas era egressa do PP – então um dos adversários mais ferrenhos do partido no Estado. Petistas de naipe reivindicavam o espólio da gestão e a afirmação da autoridade da sigla com uma candidatura própria, mas não demoveram o plano de JJ. Beth foi candidata, mas acabou perdendo no segundo turno para Luiz Carlos Busato, no PTB, à época.

O apoio a Beth e o desejo de concorrer ao Governo do Estado em 2018 levaram JJ e o PT a uma ruptura em novembro de 2016. Jairo foi recebido no PDT com carta branca para empreitada rumo ao Piratini, infrutívera. Fez 72 mil votos em Canoas, mas chegou apenas em 4º lugar no primeiro turno, atrás de Eduardo Leite (PSDB), José Ivo Sartori (MDB) e Miguel Rossetto (PT), com 11,08% dos votos.

Pelo lado do PT, desde a saída de Jairo, o partido não foi mais o protagonista das eleições. Em 2020, por exemplo, o próprio Nelsinho Metalúrgico se aventurou ao paço, mas chegou em quarto. Fez 7.374 votos – menos do que o dobro do vereador mais votado, Márcio Freitas, que atingiu a marca de 4.203, e pouco mais de 10% da votação que o próprio Jairo fez no primeiro turno, que foi de 71.968 votos.

A fala de Nelsinho não deixa de fazer sentido para o militante do PT que quer ir às urnas e digitar o ’13’ em um ano com Lula na presidência. As relações consolidadas nos últimos dois anos, a falta de um nome construído que atinja a cidade toda e a expectativa de vitória, no entanto, dizem o contrário. É um vídeo feito para viralizar e viral é; também um desabafo do próprio Nelsinho – mas não deve ir além disso.

A federação não quer.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O imposto invisível

Semanalmente trazemos dicas sobre educação financeira com Leandro Peixoto, formado em Ciências Econômicas, Educação Financeira e pós-graduação em Educação Financeira no Ensino Escolar. Há 12 anos trabalhando no Sesc, o economista

Leia mais »

Receba nossa News

Publicidade