ELEIÇÕES 2022

CANOAS | União 99% com Eduardo Leite; o papo de Bivar em SP e Busato entre o repeteco de 2018 e a vice

Busato e Bivar no plenário da Câmara de POA: evento lotado mostrou força do correligionário gaúcho. Foto: Rodrigo Becker/Seguinte:

Encontro do partido em Porto Alegre neste sábado encaminha parceria com o tucano gaúcho com o amém do ‘homem do imposto único’, Luciano Bivar

União Brasil está a um fio de cabelo branco e grisalho de fechar apoio a Eduardo Leite no Rio Grande do Sul. O fio em questão é de Luciano Bivar -, presidente da sigla e candidato do Planalto com a bandeira do imposto único -, não o de Luiz Carlos Busato, presidente do UB no Estado. Bivar, que participou de encontros com os candidatos Roberto Argenta e Vieira da Cunha na sexta, 1º, tomou um ‘nutritivo’ café com Leite – com o perdão da imperdível piada pronta. E saiu de lá 99% convencido de que este é o caminho para o partido por aqui.

– Tenho uma conversa no início da semana em São Paulo com governador Rodrigo Garcia. Tem a ver com a conversa daqui. Acho que está 99% encaminhado – definiu Bivar.

Se havia algo entre ele o PSDB que impedia a composição, descartou.

– Eram problemas da burocracia. Eduardo Leite é um homem sensível aos acontecimentos políticos e entende tudo isso.

A fala de Bivar e, diga-se, de todos as lideranças políticas locais durante o encontro, escancaram as portas para a parceria com o tucano. E é aí que entra Luiz Carlos Busato, o vice em potencial.

O ex-prefeito de Canoas foi cicerone de Bivar, Sérgio Moro e da senadora Soraya Thronicke, do Mato Grosso do Sul. Bisneta de gaúchos que foram em carretas de boi até o cerrado tentar a sorte e a vida, está cotada para encarar o desafio de ser vice na chapa de Bivar. O trio, ao lado de Busato, checou as opções do partido por aqui: além de Leite, Roberto Argenta e Vieira da Cunha, do PDT. Onyx Lorenzoni, do PL, é bolsonarista demais para o ex-bolsinarista Bivar e está praticamente descartada uma parceria.

O MDB não está nesse rol por motivos que parecem óbvios: hoje, é alvo das tentativas de Leite de encaminhar por aqui a dobradinha definida pelo partido nacionalmente, onde Simone Tebet terá apoio tucano e esperava tirar do seu MDB o vice de Eduardo Leite. Apesar das conversas não terem sido encerradas, cada dia fica mais difícil um recuo de Gabriel Souza – até porque, se desistir, José Ivo Sartori desce a Serra fardado para ser candidato.

Nesse quadro, Busato mantém a ficha 1 para ser o vice de Eduardo Leite – mas todos guardam o anúncio oficial para o momento em que se esgotarem as pontes com o MDB. Até lá, ele mantém a candidatura a deputado federal e pode até seguir a empreitada rumo ao Congresso Nacional, mesmo com o ‘ok’ de Bivar para o alinhamento com Leite. É o plano ‘repeteco de 2018’, que no curso dos acontecimentos, ainda pode beneficiar Busato.

Nesse cenário, ainda pouco explorado, o ex-prefeito concorre a deputado e indica um vice ao tucano – exatamente como aconteceu em 2018, quando Ranolfo Vieira Júnior deixou a Secretaria de Segurança de Canoas para cerrar fileiras com o jovem ex-prefeito de Pelotas, se tornou vice e, agora, governador do Estado.

Embora o aperto de mão entre o União Brasil e Eduardo Leite possa acontecer até meados da semana que vem, a definição de quem será vice ainda deve levar mais umas semanas. O apoio do MDB, considerado valioso por Leite para os planos da reeleição mas também para manter suas pretensões nacionais, exige.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O imposto invisível

Semanalmente trazemos dicas sobre educação financeira com Leandro Peixoto, formado em Ciências Econômicas, Educação Financeira e pós-graduação em Educação Financeira no Ensino Escolar. Há 12 anos trabalhando no Sesc, o economista

Leia mais »

Receba nossa News

Publicidade