cidade

Como será o novo serviço de saúde de Gravataí

Secretário de Saúde Jean Torman (direita) e o prefeito Marco Alba anunciaram nova estrutura que vai centralizar serviços da saúde municipal em prédio (imagem do telão) que fica próximo do Parcão da 79.

Uma redução no gasto mensal com aluguel da ordem de R$ 5 mil, mas principalmente um ganho significativo na melhoria das instalações e equipamentos e a possibilidade de ampliar em cerca de 50% a capacidade de atendimento – na medida em que as equipes forem ampliadas – em quatro serviços da área de saúde prestados pela Prefeitura e que, a partir de maio, serão unificados em um único prédio.

O anúncio do Centro de Atenção à Saúde Municipal – nome ainda provisório segundo o prefeito Marco Alba (MDB) alertou – foi realizado na manhã desta quarta-feira (17/4) na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codes) de Gravataí, pelo secretário municipal da Saúde – e Procurador do Município – Jean Pierry Torman.

Trata-se de um projeto que vem sendo gestado há pelo menos meio ano e que a partir do mês que vem deverá unificar os serviços em saúde prestados na Policlínica Municipal, Centro de Especialização Odontológica, Centro de Atenção à Pessoa Idosa e Centro Especializado de Nutrição e Qualidade de Vida.

Somente em mobiliário e equipamentos o investimento é de mais de meio milhão, segundo Jean.

O secretário explicou que a economia com aluguéis não é muito significativa já que hoje são gastos em torno de R$ 45 mil com locação de imóveis para a prestação dos quatro serviços, e que o aluguel do prédio onde vai funcionar o Centro de Atenção à Saúde vai custar cerca de R$ 40 mil.

O maior ganho, de acordo com o titular da Saúde, é a ampliação da capacidade de atendimento e a melhoria na qualidade dos serviços.

— Por exemplo, onde funcionam hoje, alguns destes serviços não tem sequer acessibilidade, e no prédio onde vão ser concentrados há, por exemplo, até elevador — disse.

 

Em obras

 

A transição das equipes médicas, de enfermagem e pessoal de apoio administrativo, entre outros, vai acontecer a partir de um cronograma que vai ser definido na próxima semana para que os usuários não sejam prejudicados, para que os atendimentos, – consultas e exames – não deixem de ser prestados às pessoas que necessitam ou já têm agendamento.

O prédio que vai servir de sede ao Centro de Atenção à Saúde Municipal ainda está passando por obras de adaptação para que instalações sejam transformadas – principalmente – em salas de espera, para realização de exames e consultórios, entre outras espaços necessários ao funcionamento pleno. O investimento em equipamentos também foi explicado pelo secretário Jean aos membros do Codes.

— Cada especialidade ou serviço vai ter um consultório apropriado e de acordo com o serviço prestado. Isso vai representar mais conforto tanto para o usuário quanto para o profissional que está realizando o atendimento — garante.

 

Dinherama

 

De acordo com o secretário Jean Torman, atualmente a Prefeitura de Gravataí investe nada menos do que R$ 200 milhões (aproximadamente) com os serviços prestados na área da saúde. Ele disse que desta dinheirama toda, R$ 50 milhões são destinados para a Santa Casa de Misericórdia – Hospital Dom João Becker, com a finalidade de cobrir o déficit do serviço prestado via Sistema Único de Saúde (SUS) e que não é integralmente ressarcido.

Outros R$ 70 milhões deste orçamento são destinados ao pagamento de salários do pessoal do quadro de servidores e dos serviços terceirizados, sobrando tão somente R$ 80 milhões para cobrir as demais despesas e custear os investimentos que a administração municipal tem feito. A grande maioria, lembrou o secretário, são serviços que deveriam ser custeados pelo Estado ou pela União.

— Hoje (nesta quarta, 17), por exemplo, dos 40 leitos disponíveis no Posto 24 Horas, 23 estão ocupados com pacientes diagnosticados com problemas de saúde mental. É um custo que está sendo bancado pelo governo municipal.

 

Confira no vídeo a entrevista do secretário da Saúde, Jean Torman, para o Seguinte:, clicando na imagem abaixo.

 

 

IMPORTANTE

 

1

Os R$ 80 milhões que sobram dos R$ 200 milhões investidos em saúde, pelo município, servem também para custeio de procedimentos que vão desde a aplicação de vacinas até os mais complexos, como os de oncologia, cuja competência é do governo federal via SUS.

 

2

Uma estimativa indica que, atualmente, 48% dos cerca de 300 mil habitantes de Gravataí tenha plano de previdência privada. Mesmo assim, boa parte destes utiliza os serviços públicos, do SUS, seja em casos de urgência e emergência – como acidentes ou mal súbito – ou para a simples aplicação de vacinas.

 

3

O município presta e realiza hoje, de acordo com o secretário Jean Torman, da Saúde, cerca de 35 mil atendimentos, consultas e procedimentos diversos. Destes, cerca de seis mil apenas nos quatro serviços que serão concentrados a partir de maio no Centro de Atenção à Saúde Municipal.

 

4

No novo local, que fica na rua João Alves de Souza (atrás do Carrefour e na frente da Casa de Formação Vila Lurdes, das Irmãs do Imaculado Coração de Maria, com saída para a avenida Dorival de Oliveira, esquina da loja Rom’s Car) a expectativa é aumentar em cerca de 50% o número de atendimentos, de 6 mil para 9 mil ao mês.

 

Igual ou melhor

 

Para o prefeito de Gravataí, Marco Alba, o prédio onde vai funcionar a partir do mês que vem o Centro de Atenção à Saúde Municipal tem estrutura “igual ou melhor” do que muitas instalações de prestação de serviços de saúde de Porto Alegre, porque dispõe de conforto e todos os itens exigidos para a plena acessibilidade.

— É um modelo do respeito que a gente tem para com as pessoas e do cuidado dispensado na destinação do dinheiro público — destacou o prefeito Alba.

 

O QUE ELE DISSE

 

— Atualmente, muitos serviços são prestados a partir de determinações judiciais, ou seja, a ordem é para que o município preste o atendimento que a União não realiza.

 

— O Centro de Atenção à Saúde Municipal é resultado de um estudo que vem sendo feito por determinação do prefeito Marco Alba, que há cerca de um ano exige que prestemos mais e melhores serviços com os mesmos recursos.

 

— O local que vai concentrar serviços em saúde vai dispor de um estacionamento que vamos ceder para exploração de terceiros, assim como um local para comércio de lanches, cafés, águas, por exemplo, atividades que não são de nossa competência.

 

Jean Pierry Torman
Secretário Municipal da Saúde de Gravataí

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Os sabotadores da República

“Por aqui chegamos ao paroxismo de que, para conceitual golpe, é preciso que ele seja vencedor?”. Recomendamos o artigo do jurista Lenio Streck, publicado pelo ICL Notícias O que é

Leia mais »

Receba nossa News

Publicidade