coluna do silvestre

Em texto e vídeo, como anda duplicação das pontes do Parque dos Anjos

Escavações que estão sendo feitas pela empreiteira Ecovilla é para o estaqueamento de sustentação do muro de contenção - o chamado gabião - do aterro sobre o qual vai ficar a pista nova entre as pontes.

Para os que não acreditam no cumprimento de prazos por causa de possíveis interesses políticos-eleitorais, caso do taxista Antônio de Carvalho Heinsch, de 80 anos, e para os que “botam fé” como outro taxista, Paulo Ferreira, de 41 anos, a notícia é boa!

As obras de duplicação das chamadas pontes do Parque, sobre o arroio Passo dos Ferreiros, vai “de vento em popa” e está quase um mês adiantada em relação ao cronograma estabelecido pela empreiteira carioca Ecovilla Construções, que começou a trabalhar oficialmente no local em 17 de dezembro passado.

Hoje pela manhã fomos conferir como está o andamento da duplicação. Um funcionário, mestre de obras e encarregado pelo serviço, que não quis gravar entrevista alegando não ter autorização da direção da empresa, disse, com o arrastado sotaque carioca, que tudo está indo bem.

— O clima tem ajudado bastante, e até as chuvas que eventualmente têm caído não estão atrapalhando. Estamos pelo menos 20 dias, ou mais, adiantados em relação ao cronograma — afirmou.

No lado direito do ponto onde se encontram as avenidas Centenário e Ely Corrêa, no sentido Parque dos Anjos-Centro de Gravataí, grandes escavações já estão feitas, preparando a área para o estaqueamento e a construção do gabião, como é chamado tecnicamente o muro de contenção do aterro que será erguido.

 

Estaqueamento

 

Já foi feita também a sondagem do terreno para dar início ao estaqueamento, e até a máquina “bate-estacas” já está no local, pronta para ser colocada em atividade. De acordo com o funcionário da Ecovilla, serão 68 estacas ao longo do trecho de aproximadamente 220 metros de extensão.

Os 14 homens da empreiteira que estão trabalhando no local, número que deve aumentar nos próximos dias, vão construir caixas de gabião com cerca de um metro cada. De cada uma destas caixas sai uma malha de ferro e concreto para “dentro” do aterro para fazer a chamada ancoragem, ou seja, evitar que a contenção venha abaixo.

A altura deste gabião é de três a quatro metros, dependendo do trecho. A construção tem a finalidade de evitar uma intervenção maior no terreno, que poderia fazer até mesmo com que moradores das imediações tivessem que ser realocados em função de um aterro com base larga.

 

LEIA TAMBÉM

COM VÍDEO | Começam obras das pontes do Parque dos Anjos

 

Importante

 

O gabinete do prefeito Marco Alba (MDB) comentou, através da assessoria de imprensa, sobre as obras das pontes do Parque, para o Seguinte:. Confira.

 

1

Como está o andamento da obra de duplicação das pontes do Parque dos Anjos?

A obra segue em ritmo normal desde a ordem de início autorizada em dezembro. A empresa não fez recessos de fim de ano e vem trabalhando dentro do cronograma previsto. Já foi realizada a limpeza da área através da remoção de árvores, instalados o tapume e o canteiro de obras de acordo com as normas de trabalho na construção. Além disso, a empresa realizou o plantio de mais de mil árvores de forma compensatória às supressões no local, tudo executado conforme previsto na licença ambiental de instalação.

 

2

O que está sendo feito agora?

Neste momento está sendo executada escavação do terreno para viabilizar caminho ao equipamento que irá executar a instalação das estacas da fundação. Além disso, foi iniciada a escavação para execução do gabião previsto para o local. Este muro servirá de contenção para o aterro previsto para ter em média cerca de quatro metros de altura.

 

3

A obra é dividida por etapas? Se sim, em qual está agora?

A obra é divida em macrosserviços. Na maior parte do cronograma mais de uma etapa é executada simultaneamente para que seja possível entregar no prazo previsto. Neste momento está sendo feita a etapa de contenções e terraplenagem.

 

4

As chuvas de verão atrasáramos os trabalhos?

As chuvas, até o momento, não atrasaram o cronograma. Na etapa atual sempre que chove não dá para trabalhar com a movimentação de terra. Porém, a empresa está aproveitando os períodos sem chuva para manter a obra em dia.

 

5

Qual é a estimativa de entrega?

A estimativa de entrega da obra se mantém em dez meses de construção. Sendo assim, se mantém a previsão de entrega para o próximo mês de outubro.

 

6

Quando as pessoas deverão sentir o impacto da obra no trânsito?

Nos primeiros dias de obra quando ainda não havia o tapume, o tráfego de veículos ficou prejudicado pela curiosidade das pessoas que reduziam a velocidade para ver a obra. Após a colocação dos tapumes houve uma melhoria significativa no fluxo dos veículos. Há uma movimentação natural na obra, de entrada e saída de veículos, o que pode ocasionar pequenas paradas durante o dia. Impactos maiores no trânsito serão evitados já que a obra ocorre paralela à via existente. E as grandes movimentação de equipamentos, que poderiam ocasionar transtornos, serão programados para a noite, mantendo as condições de trafegabilidade atual.

 

FALA, PREFEITO

 

— O trabalho está sendo executado conforme foi planejado e estão sendo tomados todos os cuidados para que o produto final tenha qualidade e seja funcional para a população, que é a maior interessada no assunto e espera há mais de 40 anos por esta obra fundamental para o desenvolvimento da região.

Marco Alba

Prefeito de Gravataí

 

Profissionais

 

O taxista Paulo Ferreira, 22 anos de profissão e há 12 anos, aproximadamente, no ponto do Parque dos Anjos, começo da rua Aristides Dávila, na frente do Bradesco, está otimista. Ele acha que a obra termina no prazo e que tão logo seja entregue ao trânsito vai facilitar bastante o dia a dia das pessoas que passam pelas pontes.

— Para nós, taxistas, e para os usuários, vai melhorar bastante, com certeza. Para nós porque significa menos tempo parado. O que a gente quer é terminar a corrida, voltar para o ponto e fazer uma nova. E para o passageiro porque ele vai pagar menos. Vai ser muito bom.

O colega dele, Antônio Heinsch, profissional do táxi há pouco mais de dois anos e há cerca de nove meses no mesmo ponto, também fala em melhoria no fluxo de trânsito e vantagens para quem trabalha na área e para quem usa esse tipo de transporte. Mas é menos crédulo quanto ao final da obra para ainda este ano.

— Mesmo tendo verba liberada vai dar uma paradinha, com certeza. Ano que vem tem eleição e sabe como é política, né? Não fica pronto neste ano coisa nenhuma, com certeza — projetou o ex-proprietário de farmácia que mora no Parque dos Anjos desde 1980.

 

O que o Seguinte: viu hoje está no vídeo abaixo. Clique na imagem!

 

 

 

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade