GRAVATAÍ, 15/05/2021
política

Prefeito e secretários já se reuniram com representantes de banco para buscar empréstimo

Erra Miki ao buscar empréstimo para construir nova Prefeitura na pandemia; Povo, reis e castelos

por Rafael Martinelli | Publicada em 25/01/2021 às 12h53| Atualizada em 02/02/2021 às 12h40

Erra o prefeito Miki Breier (PSB) ao buscar financiamento para construir uma sede própria para a Prefeitura de Cachoeirinha. É a crônica da polêmica anunciada construir casa nova em meio a uma pandemia. É começar o novo governo com clima ruim.

Confesso a surpresa.

Salvo engano, não foi promessa de campanha. A não ser do prefeiturável Antônio Teixeira (REDE), quinto colocado nas urnas, o que chamei à época de Grandes Lances dos Piores Momentos.

Na terça-feira o prefeito, o secretário da Fazenda Elvis Valcarenghi e o secretário de Planejamento e Captação de Recursos Jaime Braz já tiveram reunião com representantes do Badesul para buscar empréstimo. A obra está orçada em cerca de R$ 3,5 milhões, com base em valores de 2018.

Em nota, a explicação é que “com a nova sede, a Prefeitura sairá do aluguel, o que deve gerar uma economia mensal de quase R$ 70 mil. O custo com o aluguel do prédio da sede administrativa da Prefeitura está na casa dos R$ 44 mil e do prédio onde está lotada a Secretaria de Saúde o valor é de R$ 25 mil”.

É inquestionável a economia no longo prazo.

O que reputo um erro é o momento. Governar é fazer escolhas, dizer mais não do que sim, mas também é criar um bom ambiente, não brigar com o senso comum que, mesmo que uma coisa não tenha a ver com a outra, vai questionar:

– Por que não um hospital ou leitos de UTI?

O exemplo está a alguns quilômetros. O Grande Tribunal das Redes Sociais já sentenciou as críticas de ‘pena de morte’ quando a Câmara de Viamão aprovou em sessão extraordinária projeto do prefeito Valdir Bonatto (PSDB) para contratação de empréstimo de 25 milhões para construir uma nova Prefeitura.

– É pra roubar – cheguei a ler comentário mais exaltado.

Não achem que a crítica será diferente em Cachoeirinha. Principalmente nas redes sociais, que não são a lei, mas representam sim um termômetro de humores, que quase sempre não permite aos políticos muito além da presunção de culpa.

Ao fim, fosse o prefeito de Gravataí Luiz Zaffalon (MDB) a apresentar o projeto de um novo centro administrativo, seria criticado, mas teria todo o governo Marco Alba e os R$ 100 milhões em obras de infraestrutura para apresentar, além de contas em dia para captar três vezes mais em empréstimos sem quiser.

Para completar, ganhou a eleição com 22.036 votos a mais do que o segundo colocado e mais do que a soma de todos os adversários somados.

Já Miki e Bonatto terão imensas dificuldades no governo. Financeiras e também políticas, já que não tem a delegação de poder de campeões das urnas.

O prefeito de Viamão tem que consertar o desastre que foi André Pacheco, eleito em 2016 com seu apoio e hoje um desafeto enrolado com a justiça. E ganhou a eleição por apenas 320 votos de diferença.

Miki fez um primeiro governo onde foi mais síndico de folha de pagamento do que entregou obras. E ganhou a eleição por só 318 votos.

Politicamente, ambos não são reis para neste momento pensar que de forma incólume construirão castelos.

 

LEIA TAMBÉM

Em 8 vídeos: Como foi início da vacinação em Gravataí e Cachoeirinha; assista

SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
Gráfica e Editora Vale do Gravataí
Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

[email protected]

Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
Rodrigo Becker | EDITOR | [email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.