notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 27/10/2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    crise do coronavírus

    Foto RAFAEL MARTINELLI

    Onde foi o dinheiro do socorro federal para Gravataí; O que ’CPI do Bolsonaro’ encontraria se investigasse

    por Rafael Martinelli | Publicada em 19/04/2021 às 16h31| Atualizada em 03/05/2021 às 19h56

    E se a CPI da Pandemia, que começa a funcionar quinta no Congresso Nacional, baixasse em Gravataí, o que encontraria, usassem ‘investigadores’ crachás identificados como CPI do Genocídio, CPI do Covidão ou CPI do Fim do Mundo?

    – Aqui fomos Joãozinho do passo certo – diz o secretário da Fazenda, Davi Severgnini.

    Conforme o ‘homem do cofre’ de Marco Alba, e agora do governo Luiz Zaffalon, o dinheiro que ‘sobrou’ do socorro federal foi para a saúde em 2020 e, em 2021, sem ajuda governamental, os recursos próprios usados no enfrentamento à pandemia já permitem prever que o orçamento zera em agosto.

    A previsão é ainda pior do que o 24 de fevereiro em que Davi foi prestar contas à Câmara de Vereadores, e reportei em  Furou a bolha da COVID: Orçamento da Saúde termina em setembro; 2021 não será um ano bom.

    Vamos à ‘ideologia dos números’.

    Em 2020 Gravataí recebeu R$ 41 milhões, em quatro parcelas, para compensar a perda de receita com ICMS. Só que dos R$ 162 milhões estimados no retorno de impostos, R$ 156 milhões foram realizados. Ou seja: a queda foi de R$ 6 milhões, fazendo que com a compensação ‘sobrassem’ R$ 34 milhões. Outros R$ 3,2 milhões foram repassados para uso na COVID e mais R$ 1,8 milhão na Lei Aldir Blanc, para socorrer artistas.

    E o principal: recebeu autorização para ‘pedalar’ a previdência, o que evitou gastar R$ 70 milhões.

    – Não é um dinheiro que ficou numa conta – reafirma Davi Severgnini.

    – Dos R$ 216 milhões investidos na saúde colocamos mais de R$ 120 milhões em recursos próprios.

    Só no Hospital de Campanha e no contrato com o Dom João Becker foram R$ 30 milhões, exemplifica, lembrando que a obrigação constitucional é de 15%, mas Gravataí investiu em média 22% nos últimos oito anos e, no 2020 da pandemia, 27%.

    Em 2021 o Hospital de Campanha está sendo mantido apenas com dinheiro da Prefeitura, ao custo de R$ 1,5 milhão mensais. E não há previsão de fechar, já que pandemia segue tirando uma média de 5,5 vidas de gravataienses a cada 24h.

    – A projeção é de que seja necessário um aporte de R$ 50 milhões na saúde; 30 milhões para a COVID. Honestamente: ainda aguardamos algum auxílio governamental estadual e federal – diz o secretário, que explica que o Orçamento de 2021 não previa a piora da pandemia e a necessidade de gastar quase 3 a cada 10 reais com a saúde.

    – A ideia era em 2021 fechar serviços que não são mais necessários com outros abertos. Temos uma nova UPA, que cobre serviços e tem custo permanente, todo pago pela Prefeitura.

    Só que, para enfrentar março, o pior mês da pandemia, foi necessário, por exemplo, ao invés de ‘fechar’ o PAM 24 Horas, quintuplicar o número de leitos, ao custo mensal de quase meio milhão de reais.

    Ao fim, enquanto a CPI passará longe de Gravataí – já que só desinformados ou informados do mal inquirem “o que foi feito com o dinheiro que o Bolsonaro mandou?”, em delírio acusatório de Grande Tribunal das Redes Sociais – o amargo remédio da realidade logo pinga na Câmara de Vereadores: é a “mãe de todas as reformas”, como chama o secretário da Fazenda; a da previdência municipal.

    – É a principal estratégia para financiar essa diferença no orçamento. Contamos com a responsabilidade de todos para aprová-la – confirma Davi.

    O tamanho do Golias já detalhei ano passado, em Previdência custará 30 Pontes do Parque até 2022; Marco Alba fará reforma?.

    – Farei – já respondeu Zaffa em 2021, no balanço dos primeiros meses de governo, o que reportei semana passada em 90 dias de Zaffa: ’Gravataí é o melhor lugar para morar e investir’; 10 coisas que o prefeito disse na Acigra.

    Sem torcida ou secação, são os fatos, aqueles chatos que atrapalham argumentos: em algum momento a ‘ideologia dos números’, a vida real, se impõe aos delírios caça-cliques, memes ou whatsapps do tiozão, seja isso bom ou ruim, queiramos ou não.

    Tudo vai de pior em mal, já dizia o otimista.

     

    LEIA TAMBÉM

    Tombo do PIB na pandemia custa a Gravataí um ano de hospital; ou 8 Pontes do Parque

    GM parada custa 1 Ponte do Parque por mês; Antecipo o remédio amargo de Zaffa

    Mais de 600 vidas perdidas em Gravataí: pandemia segue letal em em abril; O detector de mentiras do Bial

    Nunca tantos gravataienses morreram: março teve mais óbitos do que nascimentos; A virulência da COVID-19

    Lockdown deu certo: Araraquara tem 2 dias sem mortes, Gravataí tem 5 a cada 24 horas; O efeito Páscoa e a UTI só em hospital militar

    A polêmica da volta às aulas: Gravataí e Cachoeirinha odeiam professores?; Para alguns nas redes sociais parece

    6 meses para ’vacina municipal’: no conta gotas atual, 2 anos para imunizar Gravataí e Cachoeirinha

    • política
      Oposição quer ’CPI do Miki’ em Cachoeirinha; Amizade ou relação promíscua, e as 648 horas sem provas
      por Rafael Martinelli
    • política
      O que mais preocupa Zaffa sobre pedágio em Gravataí; A 020 e os 5 pedidos ao governador
      por Rafael Martinelli
    • política
      Vereadores de Gravataí podem ter mesma reposição de 10 por cento do funcionalismo; Os mil a mais e o osso
      por Rafael Martinelli
    • política
      EXCLUSIVO | Miki será alvo de novo impeachment ou CPI em Cachoeirinha; ’Nunca vi denúncia tão bem formulada pelo MP’, diz advogado de vereadores
      por Rafael Martinelli
    • 23 de outubro
      141 anos de Gravataí: por que um prefeito ’trocou’ a data do aniversário para hoje
      por Redação
    • política
      Paulo Silveira e Beto, dois candidatos; A educação e a cura da sogra de Pedro
      por Rafael Martinelli
    • política
      EXCLUSIVO | Miki pede recondução à Prefeitura de Cachoeirinha; É absolutamente inocente, diz defesa ao pedir anulação de denúncias sobre ’mesadão do lixo’
      por Rafael Martinelli
    • aniversário
      Comemorar olhando para o futuro; O artigo de Zaffa nos 141 anos de Gravataí
      por Redação
    • política
      Marco Alba foi um bom gestor; Gravataí é excelência no Índice Firjan
      por Rafael Martinelli
    • política
      Já se fala em aumento de salário para vereadores de Gravataí; A fila do osso
      por Rafael Martinelli
    • política
      Vereadores Dila e Bino pedem mandatos na justiça por perseguição política do PDT de Gravataí; Anabel pressiona por expulsão
      por Rafael Martinelli
    • política
      O reflexo de Busato, do novo partidão do Brasil, na casa de Cláudio Ávila em Gravataí; Dimas, Odair do Acorda e o Retrato de Dorian Gray
      por Rafael Martinelli
    • política
      No que Zaffa lembra o ’Véio da Havan’; O prefeito de Gravataí e o mercador
      por Rafael Martinelli
    • política
      Chefe da Guarda de Gravataí não pode ser ’segurança’ de pub que deveria fiscalizar
      por Rafael Martinelli
    • política
      Fernando Deadpool age como um Boca Aberta de Gravataí; Um vereador a cliques da perda do mandato
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Rodrigo Becker | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.