notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 27/10/2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    café com negócios

    Videoconferência promovida pela Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Gravataí reuniu os 3 poderes, Executivo, Legislativo, Judiciários e empresariado

    ’Estou apanhando nas redes sociais, mas coube a mim enfrentar pautas ásperas’, diz Zaffa, prefeito de Gravataí, no Café com Acigra; Os 3 Poderes e o Ovo da Serpente

    por Rafael Martinelli | Publicada em 30/04/2021 às 18h08| Atualizada em 12/05/2021 às 10h45

    O sincericídio será o cashback do governo Luiz Zaffalon (MDB). No Café com a Acigra, que reuniu os 3 poderes de Gravataí, com o presidente da Câmara Alan Vieira (MDB) e a juíza diretora do Fórum, Valéria Willhem, o prefeito não escondeu:

    – Apanho vergonhosamente na rede social e na rua porque enfrento pautas complicadas, muitas delas consequência da pandemia.

    Como ‘pautas-bomba’, Zaffa citou a volta às aulas, o socorro de R$ 5 milhões para o transporte coletivo operado pela Sogil e a reforma da previdência municipal, que será envida à Câmara de Vereadores em abril.

    – São pautas ásperas que couberam a mim e vou enfrentar. Se não fizer a reforma da previdência, o Orçamento de Gravataí zera em agosto – alertou, sobre o projeto de lei que já assusta categorias, e tratei ontem em Volta às aulas sem vacinas e reforma da previdência em Gravataí: as ’pautas-bomba’ que podem explodir greve dos professores; ’Funk na cara da Justiça’.

    – O Brasil já discutiu e aprovou a reforma porque era imprescindível. Estamos apenas adaptando as regras para Gravataí.

    Entre as contas a pagar da pandemia, algo que detalhei em Onde foi o dinheiro do socorro federal para Gravataí; O que ’CPI do Bolsonaro’ encontraria se investigasse, o acrescimento de leitos em Gravataí em março, pior mês da pandemia e mês onde mais gravataienses morreram do que nasceram, e reportei em Nunca tantos gravataienses morreram: março teve mais óbitos do que nascimentos; A virulência da COVID-19.

    O prefeito lembrou que em 1º de janeiro assumiu o governo das mãos de Marco Alba (MDB) com um Hospital de Campanha funcionando e 32 leitos para COVID e precisou ampliar para os atuais 150, além de uma ala aberta na Santa Casa de Porto Alegre exclusivamente para pacientes de Gravataí, para evitar a necessidade de passar pela regulação do Governo do Estado, que passou mais de 30 dias sem transferir pacientes de Gravataí no momento do colapso na saúde.

    – Nunca imaginei passar por aquilo. Noites trabalhando para achar um buraquinho para colocar uma mangueirinha nova de oxigênio, ou o Hospital de Campanha com 400% de ocupação. Tinha gente em cadeiras, no chão mas, por mais precário tenha sido, mantivemos as portas da emergência sempre aberta e não deixamos ninguém sem atendimento.

    – É uma conta a pagar, somada com aumento de 500% no custo dos insumos necessário para pandemia. Mas, enfim, é o de menos, o que importa é que salvamos vidas – concluiu.

    Sobre a ‘pauta-bomba’ do subsídio milionário para a Sogil, o prefeito lembrou que a garantia do acesso ao transporte público é direito constitucional das pessoas, e é a alternativa para manter a passagem por mais um ano nos mesmos R$ 4,80 que custa há 12 meses, o que detalhei em artigos como Socorro milionário ao transporte público de Gravataí: a responsabilidade dos vereadores e o sincericídio de Zaffa, Socorro da Prefeitura para Sogil chega a 5 milhões em Gravataí; ’Pauta-bomba’ está na CâmaraZaffa confirma congelamento de passagens em Gravataí e A pauta-bomba: Gravataí congela em 4,80 tarifa que custaria 7,22: ’É socorro ao transporte público, não à Sogil’.

    – Cabe à Prefeitura, que é o poder concedente, fazer o equilíbrio financeiro entre custos e tarifa. Com a pandemia, para manter a passagem congelada é preciso subsidiar – resumiu Zaffa.

    – Infelizmente a sociedade não entende, acha que é dinheiro jogado fora. Eu, Alan e os vereadores somos agredidos nas redes sociais e nas ruas.  Mas, como prefeito, não vou fugir da responsabilidade – garantiu.

    Ao defender a volta às aulas presenciais, o prefeito voltou a lembrar o Grande Tribunal das Redes Sociais.

    – Chamam-me genocida. Uma professora escreveu que eu queria matá-la. Mas há estudos que alertam para a defasagem no aprendizado das crianças. Voltaremos seguindo todos os protocolos sanitários.

    Em outro causo sobre as redes sociais, Zaffalon lembrou de live na qual participou e defendeu a privatização da Corsan:

    – Pessoas ligadas à companhia escreveram que iriam arrancar minha foto da galeria de ex-presidentes, mas teve também quem ameaçou queimar a minha casa. Minhas filhas ficaram assustadas. Hoje é cada vez mais difícil ter uma posição e expô-la. Mas seguirei sendo transparente – disse, sobre sua opinião que contraria inclusive seu grupo político, como lembrei nesta semana em Privatização da Corsan: Patrícia Alba ’pega na mentira’ o governador; Deputada de Gravataí vota contra ’Pix ilimitado.

    Ao falar de flores, Zaffa listou novos investimentos, como Magazine Luiza, Elevato e PLDO, o que o Seguinte: reportou em artigos como Lojas Paludo investe 10 milhões e contrata só gravataienses. Saiba como trabalhar na empresaElevato vai investir 13 milhões em Gravataí; São 70 empregos. Saiba como trabalhar na empresa e Como disputar 500 empregos: Sai Mercado Livre, entra Magazine Luiza em Gravataí; Zaffa libera alvará para negócio na 118.

     – Hoje somos um polo de logística. Uma cidade que transformamos na mobilidade e infraestrutura e é bom para investir e para morar – disse, repetindo o que falou também aos representantes do PIB de Gravataí em 90 dias de Zaffa em Gravataí: 10 coisas que o prefeito disse na Acigra.

    O prefeito também lembrou da parceria com a Santa Casa, consolidada no pior momento da pandemia.

    – O Becker tem tudo para se transformar em um hospital referência. A Santa Casa mostrou que veio para ficar e revolucionar o atendimento médico em Gravataí.

    Zaffa também levou à pauta a construção de um "mutirão digital" para ensinar as pessoas a usar a tecnologia e se preparar para a chegada do 5G.

    – 90% das pessoas que estão na fila do banco não precisariam estar ali. Temos hoje excluídos digitais.

     

    Assista à íntegra do vídeo e, abaixo, sigo

     

    Sigo eu.

    Para usar como metáfora o clássico de Ingmar Bergman, o Ovo da Serpente de onde nasceu o Grande Tribunal das Redes Sociais não foi chocado só pelo ‘povo’, mas também pelos ‘3 Poderes’, representados no Café com Negócios por Zaffa (Executivo), Alan (Legislativo) e Judiciário (Valéria), e também pelo empresariado, cuja prócere ali era Ana Cristina (Acigra).

    Incluo ainda a Imprensa, mas excluo-me dessa responsabilidade, por sempre fui crítico de pré-julgamentos, mesmo que fosse impopular sê-lo, e pudesse ter ganho mais seguidores com ‘caça-cliques’ promovendo a razia da política.

    Exemplifico com o “maior escândalo judicial da história brasileira” (como ‘deu no New York Times’, em manchete de artigo de Gaspard Estrada, diretor-executivo do Observatório Político da América Latina e do Caribe da universidade Sciences Po de Paris), a iconoclasta Operação Lava Jato.

    Inegável é que, se hoje se odeia a política, e não se permite aos políticos nada além da presunção de culpa, primeiro é porque corrupções aconteceram – e acontecem desde que a Quinta da Boa Vista, e sem dúvida antes também por inimputáveis índios.

    Ninguém em sã consciência, e que não sinta inveja por ser tão incorruptível, aprova o desvio do dinheiro, que poderia salvar uma vida, para a campanha de partidos ou para o bolso de alguém.

    Mas isso não precisaria ser escrito.

    O que destruiu a política moderna – e, pior que uma pandemia, a indústria e a economia nacional, hoje com PIB que é metade de 2014 – foi a narrativa lavajatista, devidamente distribuídas pela imprensa amiga, e por, como bem apelida Reinaldo Azevedo, ‘garotos e garotas de programas’, de que ninguém presta na política, construída enquanto se transformavam direitos individuais e a Constituição em um ‘É verdade esse bilhete!”; e, incontestável porque tem ‘recibo’, decreto de nomeação, uma carreira política era preparada por Sérgio Moro.

    À época, para destruir reputações, o Grande Tribunal das Redes Sociais foi útil para muitos que hoje são por ele condenados e já vi no Parcão, com rosto pintado de verde amarelo, camiseta da CBF e a bandeira do Brasil como capa.

    Não é sempre que corruptos estão na outra mesa.

    Não são fake news e informações com a profundidade de uma poça d´água exclusividade do ‘povo’, indignado com uma economia quebrada desde antes da pandemia, que posta nas redes sociais, mas também podem ser associadas a empresários de Gravataí que ajudaram a distribuí-las nos últimos anos, e ainda distribuem.

    Como jornalismo é dar nome às coisas, cito José Rosa, presidente do Sindilojas, em suas postagens no grupo do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codes) de Gravataí, que, ainda bem, não chegarão à direção da Prometeon, na China, ou na GM ou Dana, nos EUA, porque aqui já provocam constrangimento em altos executivo e na intelligentsia de Gravataí.

    O réptil gestado pelo Ovo da Serpente rasteja cercado de hienas que buscam carniças verbais, fake news, em um cercadinho em frente ao Palácio do Planalto e se chama Jair Bolsonaro, deprimente da república – como em triste genialidade descreve o humorista Fraga, colunista do Seguinte:.

    É sim, culpado por tanto ódio, e também por, usando sua linguagem de miliciano, ‘cancelar CPF’ de mais de 400 mil brasileiros.

    Não concordo com a juíza Valéria que, no Café com a Acigra, salvo engano, disse que “não há culpados” na pandemia. Inclusive, discordo de quase tudo que a magistrada disse sobre a COVID no vídeo, e há ela de entender a crítica, já que disse que pensamentos diferentes são saudáveis e gosta ela de mostrar que o Judiciário é feito por seres humanos.

    Reputo há culpados para os 2 mil Boeings em vidas perdidas que já ‘caíram’ no Brasil em um ano de COVID-19 e, aí não eu, mas a ciência, recomenda hoje um único ‘tratamento precoce’ para a pandemia, que é o distanciamento social, além de uma salvação: a vacina – hoje distribuída a conta gotas, tanto que enquanto os EUA já vacinaram metade da população, o Brasil recém ultrapassou 10%.

    Escuso-me se transformei uma conversa agradável, e uma democrática e salutar reunião entre os 3 Poderes, neste Café com Negócios da Acigra, em uma análise pesada. É meu papel profissional reportar e, quando tenho subsídios, analisar – o que faço há anos com especial dedicação sobre os ovinhos paridos pelo Tribunal das Redes Sociais, que hoje tanto assustam as elites políticas e empresariais.

    Ao fim, veio-me à mente o Pi, gatinho, filho, que perdi ontem ainda novo, aos 8 anos, para um tumor que a quimioterapia não salvou. Quando ele queria chamar atenção para coisas importantes, como a falta de ração no potinho, subia em algum móvel, derrubava algo e fica ali parado, olhando para a gente.

    O Pi, fosse gente, poderia ser um jornalista profissional.

     

    LEIA TAMBÉM

    13 milhões para ampliar Emergência e UTI do Hospital de Gravataí: O guri Leo juntou 21,45 vendendo latinhas, nós, a quarta economia, não? A metafisica de Zaffa

    O jeitinho de Leite: Gravataí e Cachoeirinha vão para bandeira vermelha; O Ministério da Verdade decreta a Mentira

    Como um meme, Leite pintou o mapinha: Gravataí e Cachoeirinha em bandeira vermelha; 50 tons de alguma cor para volta às aulas

    Lockdown deu certo: Araraquara tem 2 dias sem mortes, Gravataí tem 5 a cada 24 horas; O efeito Páscoa e a UTI só em hospital militar

    6 meses para ’vacina municipal’: no conta gotas atual, 2 anos para imunizar Gravataí e Cachoeirinha

    • política
      Oposição quer ’CPI do Miki’ em Cachoeirinha; Amizade ou relação promíscua, e as 648 horas sem provas
      por Rafael Martinelli
    • política
      O que mais preocupa Zaffa sobre pedágio em Gravataí; A 020 e os 5 pedidos ao governador
      por Rafael Martinelli
    • política
      Vereadores de Gravataí podem ter mesma reposição de 10 por cento do funcionalismo; Os mil a mais e o osso
      por Rafael Martinelli
    • política
      EXCLUSIVO | Miki será alvo de novo impeachment ou CPI em Cachoeirinha; ’Nunca vi denúncia tão bem formulada pelo MP’, diz advogado de vereadores
      por Rafael Martinelli
    • 23 de outubro
      141 anos de Gravataí: por que um prefeito ’trocou’ a data do aniversário para hoje
      por Redação
    • política
      Paulo Silveira e Beto, dois candidatos; A educação e a cura da sogra de Pedro
      por Rafael Martinelli
    • política
      EXCLUSIVO | Miki pede recondução à Prefeitura de Cachoeirinha; É absolutamente inocente, diz defesa ao pedir anulação de denúncias sobre ’mesadão do lixo’
      por Rafael Martinelli
    • aniversário
      Comemorar olhando para o futuro; O artigo de Zaffa nos 141 anos de Gravataí
      por Redação
    • política
      Marco Alba foi um bom gestor; Gravataí é excelência no Índice Firjan
      por Rafael Martinelli
    • política
      Já se fala em aumento de salário para vereadores de Gravataí; A fila do osso
      por Rafael Martinelli
    • política
      Vereadores Dila e Bino pedem mandatos na justiça por perseguição política do PDT de Gravataí; Anabel pressiona por expulsão
      por Rafael Martinelli
    • política
      O reflexo de Busato, do novo partidão do Brasil, na casa de Cláudio Ávila em Gravataí; Dimas, Odair do Acorda e o Retrato de Dorian Gray
      por Rafael Martinelli
    • política
      No que Zaffa lembra o ’Véio da Havan’; O prefeito de Gravataí e o mercador
      por Rafael Martinelli
    • política
      Chefe da Guarda de Gravataí não pode ser ’segurança’ de pub que deveria fiscalizar
      por Rafael Martinelli
    • política
      Fernando Deadpool age como um Boca Aberta de Gravataí; Um vereador a cliques da perda do mandato
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Rodrigo Becker | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.