RAFAEL MARTINELLI

RGE comete ‘terrorismo’ contra Gravataí ao ‘cumprir’ decisão judicial de cortar fios; É um deboche com o juiz e a quarta economia gaúcha

A RGE cometeu um ato de ‘terrorismo’ contra a comunidade de Gravataí. Reputo ‘terrorismo’ porque ocorra uma morte, por falta de serviços, ou algum acidente, a empresa precisa responder.

Nesta quarta-feira a Prefeitura divulgou nota informando que a RGE cortou cabos de internet que atendem os serviços públicos municipais e das sinaleiras. Ao todo, foram atingidos 54 cabos semafóricos da área central.

A operação foi desencadeada durante o feriado desta terça-feira, 15, sem nenhum plano de ação comunicado ao município.

É uma óbvia represália por, depois de quase dois anos de tentativas frustradas de negociação por parte da Prefeitura, a Justiça ter concedido liminar que obriga a companhia a retirar cabos e fios soltos nos postes de Gravataí.

Como o Seguinte: reportou em Após 1 milhão em multas, Prefeitura ganha na Justiça liminar para que RGE retire cabos e fios soltos nos postes de Gravataí. Multa diária é de 50 mil; “Esgotou diálogo”, diz Zaffa, o juiz Regis Pedrosa Barros, da 4ª Vara Cível Especializada em Fazenda Pública da Comarca de Gravataí determinou “o alinhamento e manutenção nos cabos caídos ou desalinhados em todos os logradouros informados”.

A decisão diz respeito a todos os tipos de fiação e cabeamento, independentemente dos serviços, já que a RGE cobra aluguel de outras empresas para o uso dos postes.

Alega a RGE que todos os fios cortados estariam abaixo do que é permitido pelas normas técnicas, ou seja, além dos 4,4 metros nos cruzamentos e 3 metros nas vias.

Técnicos da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semurb) e funcionários da Secretaria de Serviços Urbanos (SMSU) trabalham na recuperação da rede e no recolhimento dos fios, que foram deixados nas calçadas e pela rua.

Segundo o prefeito Luiz Zaffalon, faltou bom senso para a RGE, já que a Prefeitura sempre se mostrou parceira na busca de uma solução.

– Foram praticamente dois anos para resolvermos esse problema, e agora poderíamos ter feito conjuntamente, até porque a Prefeitura está tendo de concluir a limpeza do material jogado na rua pela RGE; e esse é um trabalho necessário, de limpeza, de organização da cidade, para acabar de vez com esse caos da fiação jogada pela rua, oferecendo riscos a pedestres, motoristas, além dessa sujeira – lamenta o prefeito.

Até às 15h, além de sinaleiras, 14 pontos da Prefeitura estão sem telefone e internet, incluindo serviços de saúde, escolas, abrigos de idosos e banco de alimentos.

Vivo e Claro também foram afetadas.

Ao fim, talvez seja eu exagerado e estejamos testemunhando uma grande falha de comunicação. Torçamos nada de grave aconteça com algum gravataiense devido a essa ‘operação padrão’ da companhia, cujo contato com quem manda, manda um pouco, ou não manda nada, é mais difícil do que com o Bolsonaro depois da eleição.

Fatos, aqueles chatos que atrapalham argumentos, a gigante Prefeitura está hoje enfrentando o que os pequeninos consumidores já experimentam quando precisam ‘conversar’ com a companhia.

Se não se preocupam em debochar do juiz de Gravataí e da quarta economia do Rio Grande do Sul, como me parece estão fazendo, só resta ir a Pequim reclamar para a State Grid, que controla hoje dois terços da energia gaúcha.

Vai ficar bonito isso no relatório de Responsabilidade Social de 2022, não RGE?

Que vergonha…

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tua avó está presa

Prezada Ana Cristina. Vou iniciar essa carta dizendo o que deve ser dito. Tua avó Delfina Maria não está viajando para a Chapada Diamantina, como te informaram, até porque, se

Leia mais »

Receba nossa News

Publicidade