TRANSPARÊNCIA

TCE verifica qualidade do asfalto na ERS-030; Presidente da corte de contas participa da operação

Com a presença do presidente Alexandre Postal, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS) promoveu uma operação de fiscalização de obra de pavimentação, na RS-030, no perímetro urbano de Glorinha, em direção a Santo Antônio da Patrulha. Foi feita a extração de amostra de asfalto pelos técnicos do Laboratório de Análise de Obras Rodoviárias do órgão.

– O principal objetivo é verificar se os parâmetros previstos na licitação foram observados nos projetos de execução – explicou o presidente.

Para o coordenador do Centro Especializado para Auditoria de Obras do TCE-RS, engenheiro Cezar Motta, o acompanhamento permite conhecer com exatidão o que ocorre nas obras rodoviárias. 

– Se tivermos um contrato para realizar um pavimento com sete centímetros de espessura e encontramos apenas cinco e meio, houve uma falta de material que deveria ter sido registrada. Fiscalizamos conforme o projeto, que trata da durabilidade, qualidade, do pavimento – exemplificou.

Ernesto Eichler, diretor Administrativo e superintendente regional do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER), classificou o trabalho do TCE de “muito importante” para assegurar o emprego correto dos recursos públicos.

– É importante garantir o cumprimento daquilo que foi contratado – acrescentou.

A operação desta tarde contou com a participação do efetivo do Comando Regional da Brigada Militar na coordenação do tráfego.

Conforme nota do TCE, a análise da pavimentação, por meio da retirada de amostras, “é uma abordagem inovadora em obras de pavimentação para qualificar o controle externo neste segmento que envolve vultosas quantias de recursos públicos”.

Os investimentos em obras asfálticas contratadas atualmente no Rio Grande do Sul são da ordem de R$ 2 bilhões, entre obras do Estado e dos municípios.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tua avó está presa

Prezada Ana Cristina. Vou iniciar essa carta dizendo o que deve ser dito. Tua avó Delfina Maria não está viajando para a Chapada Diamantina, como te informaram, até porque, se

Leia mais »

Receba nossa News

Publicidade