RAFAEL MARTINELLI

MP faz operação na Prefeitura e casa do prefeito de Cachoeirinha para investigar sobrepreço em cestas básicas; O que dizem Cristian, empresa e promotores

Operação Cesta Básica foi deflagrada na manhã desta sexta

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos na Prefeitura de Cachoeirinha, na casa do prefeito Cristian Wasem (MDB) e na empresa Cestas Básicas Rio Grande, em operação deflagrada na manhã desta sexta-feira pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul para investigar sobrepreço na compra de cestas básicas para atingidos pelas inundações.

A denúncia sobre o contrato de quase meio milhão de reais, onde notas continham sobrepreço de até 2.500%, foi divulgada na sexta-feira passada pela RBS TV; leia e assista o vídeo do Jornal do Almoço em Sobrepreço em cestas básicas para atingidos pelas inundações pode ser debitado na conta da reeleição do prefeito Cristian; O ‘Jogo dos Quantos Erros’ em Cachoeirinha.

As ordens para a chamada ‘Operação Cesta Básica’ foram expedidas pela Quarta Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.

Ao Seguinte:, o MP não confirmou rumores do meio político de que teria sido pedido afastamento do prefeito, negado pelo judiciário.

Em nota, a Procuradoria da Função Penal Originária (PFPO) informou que “apura-se ocorrência de sobrepreço e superfaturamento na aquisição de bens, especialmente cestas básicas, que deveriam ser destinados ao atendimento das vítimas das enchentes no município” e “constam como investigados agentes públicos e particulares envolvidos nas contratações emergenciais suspeitas”.

Ainda conforme a nota, “foram arrecadados documentos e equipamentos eletrônicos”, sem detalhar se houve apreensão de celulares.

MP foi até a casa do prefeito Cristian Wasem


O prefeito se manifestou ao Seguinte:.

– Já estamos fazendo nossa apuração e colaborando com a averiguação do Ministério Público, com tranqüilidade e serenidade de quem nada fez de errado. Aguardaremos acesso aos autos para maiores esclarecimentos – disse.

A Prefeitura suspendeu o pagamento das notas sob suspeita, instalou sindicância e exonerou servidor responsável pelo contrato, como reportei em Assessor demitido por ter assinado notas de cestas básicas com sobrepreço tinha sido nomeado para fiscalizar contratos da Prefeitura de Cachoeirinha.

Adriano Luz, advogado que defende a Cestas Básicas Rio Grande, disse ao Seguinte: que foram prestados esclarecimentos ao MP que comprovam que houve um problema contábil na emissão das notas para a Prefeitura.

– Não houve irregularidade, ou dano ao erário – disse.

As investigações são conduzidas pela promotora de Justiça Letícia Elsner Pacheco, sob a coordenação do procurador de Justiça Fábio Costa Pereira, coordenador da Procuradoria da Função Penal Originária.

Participaram, ainda, da operação, os promotores de Justiça Karina Busmann, Mariana de Azambuja Pires, Maristela Schneider, Heitor Stolf Junior, Gerson Daiello e Bill Scherer, mediante o apoio de servidores e policiais adidos do Ministério Público.


LEIA TAMBÉM

Base do governo Cristian afoga CPI do sobrepreço nas cestas básicas e ameaça autor com cassação; A primeira sessão pós-escândalo

Policiais federais vão até casa do prefeito Cristian em Cachoeirinha; Veja vídeo

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A beleza de escutar

Acho que já tinha esquecido de alguns sons. Não lembrava do barulho do saco plástico quando tiro o pão, do barulhinho das teclas do teclado do computador, até do ruído

Leia mais »

Receba nossa News

Publicidade